Últimas

Zeca Camargo está sendo acusado de "sertanejofobia"



18/07/2015 – 12h14



Publicidade

DE SÃO PAULO

O processo que a família e a empresa de Cristiano Araújo estão movendo contra Zeca Camargo vai além do absurdo. Para começar, eles entenderam errado o editorial que Zeca escreveu e narrou para o “Jornal das Dez” da Globo News do dia 27 de junho. Em nenhum momento o jornalista “ofendeu a cultura sertaneja”, muito menos debochou do amor dos fãs pelo cantor. Apenas questionou o tamanho da cobertura que a mídia dedicou à morte de um artista que, até então, era desconhecido por boa parte do público.

Mas o que realmente fez meu queixo cair é o tal “caráter pedagógico” que a ação pretende ter —na verdade, a intenção de calar a boca de Zeca Camargo e amedrontar outros comentaristas. Os advogados responsáveis pela ação querem que Zeca se comprometa a “nunca mais emitir opiniões preconceituosas sobre a cultura e a música sertanejas, sob pena de multa de R$ 50 mil”.

Vamos deixar de lado o simples fato de que Zeca não emitiu nenhuma “opinião preconceituosa”. O objeto de sua crônica era a mídia, não o cantor. Mas, e se ele tivesse criticado explicitamente a música de Cristiano Araújo? Isto poderia ser considerado “preconceito” contra a música sertaneja?

Cantor Cristiano Araújo e namorada morrem após acidente

Claro que não. “Preconceito” é, literalmente, um pré-conceito —um juízo de valor emitido antes de se conhecer direito alguma coisa. Ninguém tem preconceito contra o sertanejo. As pessoas gostam ou não gostam do gênero, e nada disso pode ser considerado crime.

Se o juiz der ganho de causa à família de Cristiano Araújo, estará abrindo um precedente gravíssimo. Qualquer crítica negativa poderá ser interpretada como “preconceito”, e quem compartilhar uma reles opinião, na imprensa ou mesmo nas redes sociais, poderá ter sérios problemas com a Justiça.

A morte do rapaz, ao lado da namorada, foi uma tragédia. Ninguém está pondo isto em dúvida. Mas a dor causada por esta perda súbita precisa ser melhor canalizada. Por que processar Zeca Camargo, e não o motorista que estava ao volante na hora do acidente? Por que não repensar a agenda carregadíssima a que nossos artistas são submetidos, obrigados a fazer inúmeros shows por semana em cidades muito distantes entre si?

Sim, o sertanejo tem milhões de fãs e é o estilo musical que mais vende discos e lota shows pelo Brasil afora. Mas existem outros milhões de pessoas que não estão envolvidas com este universo. Algo natural e até saudável num país do tamanho do nosso.

Por isto, é impressionante como alguns fãs do sertanejo continuam melindrados com o fato de muita gente não saber de cor e salteado o nome de todos os expoentes do gênero. Antes era ofensa pessoal, e agora está virando crime passível de punição: é a “sertanejofobia”.

Tony Goes

Tony Goes tem 54 anos. Nasceu no Rio de Janeiro, mas vive em São Paulo desde pequeno. Já escreveu para várias séries de humor e programas de variedades, além de alguns longas-metragens. E atualiza diariamente o blog que leva seu nome: http://tonygoes.blogspot.com





  • Últimas notícias 
  •  


Fonte: Folha de São Paulo
www.folha.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *