Últimas

Ilha grega está 'prestes a explodir' com fluxo de refugiados, diz ministro

A ilha grega de Lesbos está “prestes a explodir” devido ao fluxo de refugiados, segundo afirmou o ministro de Migração da Grécia, Yannis Mouzalas. De acordo com ele, o governo deve aumentar ainda esta semana o número de policiais e equipamentos usados na identificação dos imigrantes e também deve passar a operar em um segundo porto na ilha, para facilitar a viagem dos refugiados para outros países no norte da Europa.

“No momento, nós estamos focados na situação de Mytiline (a principal cidade da ilha), porque eles estão realmente prestes a explodir”, comentou Mouzalas em uma entrevista para a emissora de rádio Vima. Segundo as autoridades locais, nos últimos dias dobrou o número de refugiados que chega a Lesbos, para quase 20 mil pessoas.

Nesta segunda-feira, milhares de refugiados deixaram um dos três acampamentos montados em Lesbos e marcharam em direção a Mytiline, exigindo que os procedimentos de identificação fossem acelerados. Eles colocaram fogo em pedaços de madeira e lixo, mas os focos de incêndio foram rapidamente controlados. Depois eles ficaram sentados em uma das principais praças da cidade e foram registradas pequenas confusões com a polícia. “A polícia cercou a área e impediu eles de marcharem para uma das principais áreas de compras da cidade, com receio de saques”, comentou um assessor do governo local.

A crise econômica na Grécia tem limitado severamente a capacidade de o país lidar com o forte fluxo de imigrantes das últimas semanas. Na semana passada, o governo disse que pediria 730 milhões de euros em ajuda da União Europeia para amenizar a situação dos refugiados, sobretudo sírios.

Segundo o ministro interino de Economia da Grécia, Nikos Christodoulakis, o governo já gastou mais de 1 bilhão de euros nos últimos meses com os refugiados que chegam ao país vindos da Turquia, considerando o impacto no sistema público de saúde e também na indústria turística. Só este ano, o país já recebeu 230 mil imigrantes, sendo que quase a metade passou pela ilha de Lesbos, que fica a apenas 9,5 quilômetros de distância da Turquia. Fonte: Dow Jones Newswires.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *