Últimas

Microsoft tenta responder dúvidas sobre privacidade no Windows 10

A Microsoft anunciou, por meio de seu blog, uma mudança em sua política de privacidade para proteger os usuários mais jovens no Windows 10. O sistema veio com uma gama de recursos familiares que são ativados como padrão e que não faziam distinção entre o comportamento de crianças e de adolescentes.

O recurso enviava um relatório de atividade (tempo no PC, sites mais visitados e termos pesquisados em sites de busca) para os pais poderem saber o que os filhos estão fazendo no computador. Em caso de crianças pequenas, a ferramenta é importante para mantê-las seguras, mas não é difícil entender como isso pode ser problemático para um adolescente. Segundo a empresa, a ferramenta está mundado graças os comentários dos Insiders, grupo de usuários que testam o Windows 10 antes de as atualizações serem liberadas para o grande público

Por este motivo, a companhia anunciou uma atualização que será lançada para todos os usuários do Windows 10. “Todos os clientes receberão um update para os recursos familiares, com configurações padrão que sejam mais apropriadas para adolescentes, em comparação com as crianças menores”, explica Terry Myerson, executivo da Microsoft no blog oficial do Windows.

A empresa também reafirmou que não tem objetivo de espionar seus usuários, já que muitas suspeitas ainda pairam sobre os termos de uso do Windows 10. A Microsoft ressaltou que todas as informações coletadas pelo sistema são anônimas, e que são usadas para melhorar seus serviços. No caso da assistente Cortana, que realmente funciona a base de um grande volume de informações do usuário (como também é o caso do Google Now e da Siri), o usuário tem total controle de quais dados a assistente tem acesso, reafirma a companhia.

O texto no blog, no entanto, não responde diretamente a alguns questionamentos que surgiram recentemente, de que tanto a Cortana quanto o OneDrive continuaram enviando informações para os servidores da Microsoft mesmo depois de serem totalmente desativados. No entanto, a empresa diz que está aberta a comentários sobre funções de privacidade que não estejam funcionando como deveriam.

Via The Verge e Blog do Windows 

Fonte: Olhar Digital
Matéria originalmente postada no site olhardigital.uol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *