Últimas

UPAs sofrerão readequação no atendimento de especialidades médicas

O estado irá restringir o atendimento de determinadas especialidades médicas a algumas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs). A medida foi anunciada nesta sexta-feira (11), em audiência pública realizada no Ministério Público de Pernambuco (MPPE), com a Secretaria Estadual de Saúde (SES). Nos próximos 15 dias, um estudo de demandas e realocações será apresentado pela secretaria ao Ministério Público.

O documento irá detalhar quais especialidades serão aglutinadas e quais as UPAs sofrerão o remanejamento. Para isso, será feito um diagnóstico da atual demanda de pacientes de cada unidade. “Até o momento, eles garantem que não houve qualquer restrição no atendimento das UPAs, mas admitiram falhas em alguns plantões, decorrentes de um atraso no repasse financeiro”, explicou a promotora de Promoção e Defesa da Saúde, Ivana Botelho.

A audiência pública visou esclarecer o fechamentos de leitos de enfermarias e Unidades de Terapia Intensivas (UTIs), em diversos hospitais de grande porte do estado, assim como os atrasos no repasse das verbas que comprometeu a atuação dos trabalhadores terceirizados das unidades de saúde.

Desde o começo do mês, informações divulgadas por médicos que trabalham no serviço público estadual contabilizaram o fechamento de leitos de UTI nos hospitais Getúlio Vargas, Agamenon Magalhães, Barão de Lucena, Miguel Arraes e Pelópidas Silveira. Ao Ministério Público, a SES garantiu que a UTI do HGV voltará a funcionar no fim de outubro e a do Miguel Arraes será reaberta até o fim deste mês.

Outros leitos, como os do Agamenon Magalhães e do Barão de Lucena já estariam funcionando normalmente. O órgão também descartou o boato mais recente de fechamento de 20 leitos no Hospital Mestre Vitalino, em Caruaru. O HMV é administrado pela Fundação Altino Ventura, que está entregando a unidade.

“A secretaria também diminuiu o contrato com a empresa responsável pela logística de armazenamento e distribuição de medicamentos e assumirá parte do serviço”, acrescentou Ivana Botelho. Em relação aos medicamentos faltosos em algumas farmácias estaduais, a SES garantiu que a situação será normalizada dentro de uma semana.

Mestre Vitalino

O Sindicato dos Médicos de Pernambuco (Simepe) denunciou ao Conselho Regional de Medicina (Cremepe) o possível fechamento de duas das três UTIs do Hospital Mestre Vitalino. Em função disso, o Conselho fará, na próxima semana, fiscalização na unidade.

“Recebemos a informação de que a central de leitos não está mais encaminhando pacientes para lá. A gente sabe que existe uma fila e que as salas vermelhas das emergências estão abarrotadas de pessoas esperando leitos de UTI. Isso aumenta as chances de óbitos”, ressaltou o presidente do Cremepe, Silvio Rodrigues.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *