Últimas

Adidas não pede a saída de Blatter, mas quer mudanças na Fifa

A fabricante alemã de equipamentos esportivos e importante patrocinador da Fifa, a Adidas, reiterou hoje o pedido de uma reforma na organização, sem se juntar aos quatro patrocinadores americnaos que pedem a saída de Joseph Blatter.

“Como já dissemos muitas vezes no passado, grandes mudanças devem ocorrer na Fifa, no interesse do futebol. O processo de reforma deve prosseguir de maneira rápida e transparente”, afirma um comunicado enviado à AFP.

Na véspera, o mega-escândalo de corrupção que abala o futebol mundial ganhou mais um capítulo com a decisão dos principais patrocinadores da Fifa, Coca-Cola, McDonald’s, Visa e Budweiser, de pedir a renúncia imediata de Blatter, presidente demissionário da entidade.

É a primeira vez que essas empresas – que investiram centenas de milhões de dólares na entidade nos últimos anos – pedem explicitamente a saída do cartola.

Na semana passada, a justiça suíça abriu uma investigação criminal contra Blatter, por “abuso de confiança” e “pagamento indevido” de dois milhões de francos suíços (1,8 milhão de euros) a Michel Platini, presidente da Uefa e favorito à sua sucessão.

A Procuradoria-Geral também suspeita que o suíço de 79 anos assinou “um contrato desfavorável para a Fifa” com a União Caribenha de Futebol (CFU), presidida por Jack Warner, na venda dos direitos de transmissão das Copas do Mundo de 2010 e 2014.

“Pelo bem do jogo, a companhia Coca-Cola pede para que o presidente da Fifa, Joseph Blatter, renuncie imediatamente, para que um processo de reformas confiável e viável possa começar seriamente”, escreveu o gigante do ramo de bebidas num comunicado.

“Os eventos da semana passada mancharam a reputação da Fifa e abalaram a confiança do público na sua liderança”, disse por sua vez a rede de lanchonetes.

Minutos depois dos primeiros pedidos de renúncia, enviados de forma simultânea pelas empresas americanas, o cartola respondeu por meio dos seus advogados que descarta deixar o cargo.

“Coca-Cola é um patrocinador valioso para a Fifa, mas o senhor Blatter discorda, com todo o respeito, da sua posição, e acredita com firmeza que deixar o cargo agora não serviria aos interesses da Fifa ou adiantaria o processo de reformas, por isso descarta renunciar ao cargo”, rebateu Richard Cullen, advogado do suíço de 79 anos, em outro comunicado.

Menos de uma hora depois desta reação, Blatter recebeu mais um baque, com o anúncio de que a Visa e a Budweiser também se juntaram ao coro dos patrocinadores que pedem sua saída.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *