Últimas

Alemão celebra melhora da defesa do Santa Cruz e projeta Bahia: "Não podemos ter medo"

Ricardo Fernandes/DP/D.A Press

Alemão ressaltou eficiência da marcação nos dois últimos jogos e espera manter desempenho diante do Bahia

O Santa Cruz acabou não sofrendo gols nos dois últimos jogos. O desempenho defensivo nas partidas contra Atlético-GO (0 a 0) e Criciúma (2 a 0) foi sinal de uma melhora no setor, que havia sofrido seis só nos dois confrontos anteriores a estes – diante do CRB (3 a 2) e Náutico (1 a 3). Embora o Tricolor ainda seja o 14ª time mais vazado da Série B, Alemão celebra as recentes atuações da retaguarda coral. Espera que seja repetida no duelo do próximo sábado, contra o Bahia, e projeta uma vitória coral na Arena Fonte Nova.

Saiba mais

Segundo o zagueiro, nos dois derradeiros jogos, o Santa Cruz conseguiu realizar uma marcação mais agrupada. “O nosso time é ofensivo do jeito que estamos jogando. Às vezes, estava sobrecarregando lá atrás. Às vezes, a gente estava marcando até no meio-campo. Quando você pega um atacante rápido, é complicado para a gente que joga ali. Queira ou não queira, nós (zagueiros) somos mais lentos que os atacantes. Nesses dois últimos jogos, tivemos uma compactação melhor e não demos espaço para os adversários. Isso foi fundamental.”

Para o confronto com o Bahia, Alemão se mostra crente em um triunfo. Tratando a partida como fundamental para as pretensões do acesso por se tratar de um confronto direito na briga pelo G4, diz que o Santa Cruz não pode se acuar em Salvador. “Acho que o campeonato está nivelado. Você vê grandes equipes tropeçando dentro de casa. Então, não podemos ter medo. Com certeza, vai ser um jogo difícil, complicado, com estádio cheio, mas a nossa equipe tem jogadores experientes, que já passaram por essa situação. Vamos fazer um grande jogo e, quem sabe, trazer uma grande vitória”, declarou.

Atenção com Kieza

Atacante do Bahia, Kieza é vice-artilheiro da Série B, com 12 gols. É segundo maior artilheiro do ano no Brasil, com 29 – oito a menos que o líder Ricardo Oliveira, do Santos. Alemão pede cuidado com o atleta, que ele, inclusive, conhece bem. “Joguei contra ele uma vez, em 2011. Eu estava no Salgueiro e ele no Náutico. Em 2012, estive com ele no Náutico. É um grande jogador”, falou. “Ele é um cara que fica dentro da área, mas não é lento. Cai pelas beiradas, tem uma impulsão muito grande. É encostar. Quanto mais perto tiver dele, mais dificuldades ele vai ter”, acrescentou.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *