Aprovada em 5 vestibulares, estudante de medicina dá dicas para o Enem

Giulia Ximenes cursa medicina na Universidade Federal de Alagoas. Ser rápido e ficar tranquilo na hora da prova são algumas dicas que ela dá.

 

Na reta final para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) vários candidatos costumam ficar ansiosos para a prova. Nessa hora, procurar relaxar é umas das dicas da alagoana Giulia Ximenes, que com apenas 17 anos, conseguiu ser aprovada no curso de medicina em quatro vestibulares públicos e um particular.

Aprovada em medicina em dois vestibulares da Universidade de Pernambuco (UPE) e também na Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (Uncisal), na Universidade Federal de Alagoas (Ufal) e em outra faculdade particular de Maceió, Giulia optou por estudar na Ufal.

Além de ser natural de Maceió, a estudante considera o currículo da universidade mais atualizado e, também por isso, decidiu ficar na capital alagoana.

Para fazer a prova do Enem em novembro de 2014, a estudante diz que a preparação foi intensa durante o ano todo.

“Eu tinha uma média de 8 horas de estudos por dia, fora o colégio. Escolhia duas matérias por dia, uma de cálculo e uma decorativa, para não ficar cansativo, e lia um ou mais capítulos inteiros. Fazia um resumo e partia para resolver todos os exercícios do capítulo”, conta.

Para conseguir estudar o curso dos sonhos, Giulia diz que é necessário abrir mão de festas com os amigos e ficava em casa estudando. Ela diz que fazia isso e os amigos entendiam e até a apoiavam, já que a maioria também estava se preparando para a prova.

E para conseguir um bom resultado, na hora do exame não adianta ficar estressado. “A minha dica é que foquem em fazer o máximo de questões possíveis e procurem trabalhar a tranquilidade. O nervosismo na hora da prova só atrapalha, é muito importante relaxar e entender que você se preparou o ano inteiro para aquilo e está pronto”, afirma.

Preparação emocional
Ao G1, Giulia conta que é essencial ter uma boa preparação emocional. Para ela, o apoio da família foi o mais importante nesse processo, e sem isso, ela acredita que não conseguiria. “Minha família me apoiou desde o começo, acho que só passei nesses vestibulares devido ao apoio deles”.

Alfrani Verdi com a filha, em colação de grau do ensino médio (Foto: Arquivo Pessoal/Giulia Ximenes Verdi)
Alfrani Verdi com a filha, em colação de grau do ensino médio (Foto: Arquivo Pessoal/Giulia Verdi)

O empresário Alfrani Verdi, pai de Giulia, diz que a família já esperava que ela conseguisse passar, mas não em tantos vestibulares.

“[Ela] Tinha feito simulados e se saído bem, e era um sinal que ela estava bem preparada. Mas no Enem é diferente, porque a concorrência é maior”, relembra o pai, orgulhoso.

“A gente esperava que ela fosse passar mas não em tantos vestibulares. A família ficou eufórica com o resultado. A expectativa da gente foi superada”, relata Verdi.

Já no término do primeiro período do curso, Giulia conta qual o plano atual. “Meu sonho agora é aproveitar muito com minha família e amigos, conhecer novas pessoas também, terminar meu curso e seguir o caminho que me faça feliz”.

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

1 comentário

  1. Bom Dia,

    que post incrivel!

    Eu sei o quão legal manter um blog!

    Tenho postado sobre Descomplica no meu blog Mais Educativo

    Beijos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *