Últimas

Canibais a um passo de mais duas condenações

Depois de quase doze horas, foi encerrada ontem à noite a audiência de instrução e julgamento do trio conhecido como Canibais de Garanhuns. A audiência aconteceu no Fórum de Garanhuns, no Agreste. A sessão, que começou às 9h45, ouviu 17 testemunhas de acusação e os três réus. Dessa vez, Jorge Beltrão Negromonte da Silveira, Isabel Cristina Pires da Silveira e Bruna Cristina de Oliveira da Silva voltaram ao banco dos réus para responder pelas mortes de Alexandra Falcão da Silva e Giselly Helena da Silva.

A juíza da 1ª Vara Criminal de Garanhuns, Pollyianna Maria Barbosa, presidiu a sessão. A defesa não apresentou testemunhas. No entanto, os advogados apresentaram requerimento que será apreciado pela juíza. O resultado será divulgado na próxima semana. Somente depois disso, será decidido se os réus irão para júri popular.

Em covas rasas cavadas no terreiro de uma típica construção de porta e janela comum no interior, policiais da Delegacia de Garanhuns, fizeram uma descoberta que, ao mesmo tempo, punha fim à angústia de duas famílias da cidade e dava início a uma história chocante. Na tarde do dia 11 de abril de 2012, após investigações que revelaram o envolvimento de Jorge Beltrão, Isabel Cristina e Bruna Cristina no desaparecimento de duas jovens, os corpos de Giselly e Alexandra Falcão foram localizados.

Os corpos das mulheres foram esquartejados e partes dos músculos retirados. Mal sabiam os policiais, mas a prisão dos três moradores da casa, que formavam um triângulo amoroso, era o primeiro passo para a revelação de detalhes de uma série de crimes que podem ter feito pelo menos oito vítimas em Pernambuco e na Paraiba, todas mulheres jovens.

Seita diabólica
Em novembro de 2014, o trio foi condenado também pela morte, esquartejamento, ocultação de cadáver e prática de canibalismo contra a adolescente Jéssica Camila, 17 anos. O crime aconteceu em 2008, em Olinda. Os envolvidos alegaram participar de uma seita.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *