Últimas

Crise empurra empresas à recuperação judicial

O número de empresas que entraram em processo de recuperação judicial dobrou no primeiro semestre deste ano em comparação ao mesmo período do ano passado. O salto é devido ao agravamento da crise econômica, que está refletindo diretamente nos resultados financeiros das empresas. O processo de recuperação judicial será discutido amanhã durante o Seminário 10 Anos da Lei de Recuperação de Empresas e Falência, realizado no auditório do empresarial JCPM, no Pina.

“Especialistas de todo o Brasil estarão reunidos para fazer uma avaliação da lei. O debate é pertinente, principalmente este ano, quando temos um movimento bem maior de empresas que dão entrada no processo devido a esse cenário econômico de juros em alta, endividamento, queda no consumo… A recuperação é uma forma que elas encontram de renegociar as dívidas”, afirmou o coordenador científico do evento e professor de direito comercial da Faculdade de Direito do Recife (UFPE), Ivanildo Figueiredo. Entre as grandes empresas que deram entrada no processo de recuperação judicial estão a OAS e Alumini.

O evento homenageará o professor pernambucano Octavio de Oliveira Lobo e contará com a presença de juristas do direito comercial brasileiro, que abordarão a lei de recuperação de empresas e falência, que está completando dez anos. Entre os nomes que estarão presentes: Francisco Satiro de Souza Junior, Paulo Penalva Santos, Ivo Waisberg, Daltro de Campos Borges Filho, Oksandro Osdival Gonçalves e Fábio Ulhoa Coelho.

“Estamos vivendo uma distorção. Muitas empresas estão entrando no processo de recuperação judicial quando deveriam decretar falência. Não é toda empresa que tem que se recuperar a qualquer custo. Isso é extremamente prejudicial para o país. Acaba repercutindo em mais crise. Para ingressar em um processo de recuperação, a empresa precisa apresentar um projeto coerente, comprovando que está em condições de superar a crise em um horizonte de três a quatro anos. Passar 20 anos neste processo é muito sacrifício para o país”, enfatizou o professor da PUC/SP Fábio Ulhoa Coelho. No encontro, o especialista discorrerá sobre o tema: “As distorções na recuperação judicial e as tarefas para os próximos dez anos”.

Os detalhes do evento, como programação completa e informações dos palestrantes, estão no site do evento (www.10anosrjrecife). As inscrições podem ser realizadas no endereço online e custam R$ 500 para profissionais e R$ 250 estudantes.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *