Últimas

Empregados chineses não sabem que trabalham em lojas falsas da Apple

Com o lançamento dos novos iPhones, no começo de setembro, algumas cidades da China, como Shenzhen, viram o número de ‘lojas da Apple’ aumentar intensamente. Apesar de a cidade só contar com uma loja oficial da companhia e 5 revendedores autorizados, mais de 30 estabelecimentos com o logotipo da fabricante. O curioso é que muitos funcionários das falsas lojas não sabem que não estão trabalhando em um revendedor oficial, de acordo com o site Business Insider.

Reprodução

Design

Reprodução
As lojas falsas são construídas para se parecerem exatamente com as Apple Stores: o cuidado é tanto que até os materiais usados para construir o ambiente, como a madeira das mesas e a escada em espiral, são copiados. Quem trabalha por lá também usa camisetas e crachás da Apple e, na maior parte dos casos, não é informado que está trabalhando em um revendedor não certificado.

Produtos

Reprodução
A maior parte dos produtos vendidos nessas lojas é original, mas pode custar até o dobro do que é tradicionalmente cobrado, já que chega nas lojas piratas antes de aparecer na original. “Existem muitos tolos na China que estão dispostos a pagar um dinheiro extra apenas para ter um iPhone antes de todo mundo”, explica um vendedor.

Reprodução

Uma investigação realizada pelas autoridades chinesas fechou uma série de Apple Stores falsas, mas a procura pelos novos iPhones é tanta que mais delas aparecem a cada dia.

Fonte: Olhar Digital
Matéria originalmente postada no site olhardigital.uol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *