Ex-porta-voz de Sarney admite que recebeu empresário para falar sobre MP

O porta-voz do governo Sarney (1985/1989) e ex-secretário de Comunicação do Senado, jornalista Fernando César Mesquita, admitiu à Polícia Federal que recebeu em sua residência o lobista Mauro Marcondes Machado, um dos principais alvos da Operação Zelotes. Segundo ele, Mauro Marcondes o procurou “para obter informações” sobre Medida Provisória de interesse do setor automotivo.

Mesquita foi alvo nesta semana da mais nova etapa da Zelotes – agentes da Polícia Federal fizeram buscas na casa do jornalista, que está sob suspeita de trabalhar com lobista envolvido na negociação de MPs, Alexandre Paes dos Santos, o APS. Documentos apreendidos na Operação Zelotes indicam que Mauro Marcondes teria mantido contato com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em agosto de 2013.

Nessa época, Marcondes negociava a Medida Provisória 627, sob suspeita de ter sido “comprada”. A MP foi editada em novembro do mesmo ano pela presidente Dilma Rousseff e favoreceu clientes do lobista. Relatório da investigação, obtido pelo jornal O Estado de S. Paulo, diz que Lula e Marcondes, preso na última segunda-feira, 25, tinham relação de “proximidade”.

Fernando Mesquita fez um depoimento de menos de três páginas à PF. Ele ocupa uma cadeira no Conselho de Comunicação Social do Congresso como titular do setor de representação da sociedade civil.

Em seu depoimento, ele contou que conheceu Mauro Marcondes “há mais de quinze anos” e “que o conheceu em razão da atividade que exerceu em diversos órgãos e entidades da administração pública”. Afirmou, ainda, “que nunca trabalhou junto com Mauro Marcondes, que nunca foi amigo próximo de Mauro Marcondes”.

Em outro trecho de seu relato, porém, admitiu ter recebido em sua casa o lobista das medidas provisórias. “Em uma ocasião, Mauro Marcondes esteve na residência do declarante para obter informações acerca do trâmite de medida provisória e o declarante apenas esclareceu o que já é público e consta em sites”, dizem os investigadores.

Mesquita disse que o lobista foi “levado à sua residência” por Francisco Mirto Florêncio da Sila, seu amigo de mais de 50 anos, ex-diretor da Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores), entidade que reúne as empresas que produzem carros, caminhões e ônibus. O ex-porta-voz do Governo Sarney afirmou que “ignora completamente questões que envolvam negociações financeiras para fazer lobby acerca de incentivos fiscais”.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *