Últimas

Náutico derruba o Vitória por 3 a 2 fora de casa e segue vivo na briga pelo acesso à Série A

ROMILDO DE JESUS/FUTURA PRESS

Timbu saiu atrás no placar, mas virou no segundo tempo e conseguiu segurar o resultado até o final

O Náutico está vivo na briga pelo acesso. Neste sábado, o Timbu conquistou um resultado primordial na busca por esse objetivo. No Barradão, a equipe derrotou o Vitória por 3 a 2, com uma ótima atuação no segundo tempo. Embora esteja na sétima colocação na tabela, o Alvirrubro está apenas dois pontos do Bahia, quarto colocado, juntamente com Santa Cruz e Paysandu – times que também venceram nesta rodada.

O resultado veio, mas Gilmar Dal Pozzo se arriscou. Ele decidiu levar a campo a mesma armação tática do time que foi goleado por 4 a 1 pelo Botafogo, com Rafael Pereira pela direita. De início, o Náutico foi acuado pelo Vitória, que adiantou a marcação e matou a saída de bola alvirrubra. Com dois laterais improvisados, o Timbu não conseguia fazer a transição.

O gol do Vitória saiu cedo, logo aos 13 minutos. Após cruzamento da direita, Elton, muito mal marcado por Rafael Pereira, marcou de cabeça. Atrás do placar, o Náutico esboçou uma reação e até melhorou no decorrer do primeiro tempo. Chegou a crioar chances de empatar. Esbarrou, porém, na falta de qualidade no passe final ou na finalização.

Tudo mudou no segundo tempo. E gol de empate marcado de forma relâmpago, aos 30 segundos do segundo tempo foi decisivo para isso. Após cruzamento da esquerda de João Ananias, Daniel Morais fechou de carrinho e fez o gol que deu um novo rumo à partida. O Vitória ficou desestruturado e passou a errar tudo. Motivado, o Timbu cresceu, chegando à virada aos oito minutos. De novo pela esquerda, já dentro da área, Bergson bateu cruzado. A bola desviou em Diego Renan e entrou.

Agora na vantagem, diante de um Vitória perdido em campo, o Náutico se postou para os contra-ataques. E foi assim que o Timbu deslanchou na partida. O terceiro gol veio aos 15, em descida rápida pela direita. João Ananias acompanhou bem e recebeu dentro da área. Ele dominou e bateu colocado, tirando do goleiro.

Com o gol, Gilmar Dal Pozzo fechou o time. Cedo demais, no entanto. Naturalmente, o Vitória partiu para a pressão, enquanto o Náutico apenas se defendia. Apesar da vantagem no placar, a decisão foi arriscada. E ficou ainda mais perigosa quando o time baiano conseguiu diminuir, aos 38. Júlio César segurou com a mão um recuo de bola. O árbitro marcou falta em dois lances dentro da área. Na cobrança, Rafaelson fez o gol: 3 a 2.

Foram cerca de 35 minutos sob ataque intenso do Vitória. O Náutico abriu mão até dos contra-ataques. Já no final, quando tinha a bola, procurava manter a posse para fazer o tempo passar. Apesar do recuo, o Náutico segurou a vitória. Muito em virtude da aplicação e entrega dos jogadores na marcação, a principal qualidade do time no jogo.

Ficha do jogo

Vitória

Júnior Fernández; Diogo Mateus, Kanu, Ramon e Diego Renan; Amaral, Pedro Ken, Vander (Yan) e Rhayner; Escudero (David) e Elton (Rafaelson). Técnico: Vagner Mancini

Náutico

Júlio César; Rafael Pereira, Ronaldo Alves, Fabiano Eller e Fillipe Soutto; João Ananias, Jackson Caucaia, Hiltinho e Guilherme Biteco (Niel); Daniel Morais (Douglas) e Bérgson (Rogerinho). Técnico: Gilmar Dal Pozzo

Estádio: Barradão (Salvador-BA). Árbitro: Rodrigo D Alonso Ferreira (SC). Assistentes: Rosnei Hoffmann Scherer e Jose Roberto Larroyd (ambos de SC). Gols: (Élton aos 13 do 1°T), Daniel Morais (aos 30 segundos do 2°T), Bergson (aos 8 do 2°T), João Ananias (aos 16 do 2°T) e Rafaelson (aos 38 do 2°T). Cartões amarelos: Guilherme Biteco (N) Público e renda: não divulgados.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *