Últimas

Polícia Federal em Pernambuco deflagra 2ª fase da "Operação Grande Truque"

Polícia Federal apreendeu mais de R$ 60 milhões em moedas estrangeiras durande segunda fase da Operação Grande Truque. Foto: Polícia Federal/Divulgação
Polícia Federal apreendeu mais de R$ 60 milhões em moedas estrangeiras durande segunda fase da Operação Grande Truque. Foto: Polícia Federal/Divulgação

A Polícia Federal em Pernambuco, através da Delegacia de Combate aos Crimes Financeiros e Desvios de Recursos Públicos (DELEFIN), deflagrou, mais uma fase da Operação Grande Truque com o fim de desarticular uma organização criminosa internacional de doleiros.

Segundo a PF, foram apreendidos o equivalente a mais de R$ 22 milhões em uma empresa de segurança de transporte de valores com filial na capital pernambucana, a fim de averiguar a procedência da quantia, bem como computadores, para análise das movimentações de câmbio em seu interior. As busca estão sendo cumpridas em três pontos, sendo dois no Recife e um em São Paulo.

Hoje, foram mobilizados 24 policiais federais nos dois estados para investigar delitos contra o Sistema Financeiro Nacional por práticas de “caixa 2” “art. 11 da Lei nº 7.492/86, com pena de até cinco anos de reclusão, instituição financeira clandestina (art. 22 da Lei nº 7.492/86, com pena de até seis anos de reclusão, e lavagem de dinheiro.

Na investigação, a PF constatou que a empresa de segurança de transporte de valores estava atuando além de seus limites legais, promovendo operações de câmbio nas suas dependências a pedido de instituições financeiras brasileiras. Agora, a PF investiga se essas operações financeiras estão devidamente registradas na contabilidade oficial, bem como se a empresa de segurança continua atuando à margem da lei ao desenvolver atividades típicas de instituição financeira sem autorização do Banco Central do Brasil (BC). Importante registrar que, em razão disto, ainda neste ano, a PF autuou a empresa de segurança por conduta ilícita com pena prevista de encerramento das atividades neste estado.    

Na sede da empresa de segurança de transporte de valores, que fica localizada na Avenida Recife, devido a constatações de uma série de irregularidades com relação a apreensão do dinheiro arrecadado, foi preso em flagrante um gerente de 46 anos, natural do Rio de Janeiro e residente em Boa Viagem. O nome não foi divulgado a pedido do advogado de defesa. O suspeito não possui antecedentes criminais e foi autuado pela prática do crime de instituição financeira clandestina.

Após a conclusão do flagrante foi arbitrada uma fiança no valor de R$ 1.576,00 e logo após o acusado foi conduzido até o Instituto de Medicina Legal (IML) para realização de exame de corpo de delito. Em seguida, ele foi liberado onde deverá responder ao processo em liberdade.

Na ação de ontem, foram apreendidos em espécie R$ 25 milhões de reais e outros de R$ 60 milhões em moedas estrangeiras, como dólares norte-americanos, australianos e canadenses, francos suíços, libras esterlinas, euros, ienes, pesos argentinos, chilenos, mexicanos, colombianos e uruguaios, randezar, iuans, coroas norueguesas, dinamarqueses e suecas, um total de quase R$ 85 milhões. Também foram apreendidos documentos, mídias de computador, planilhas e material de informática que passarão por perícia técnica com o objetivo de subsidiar as investigações que estão em andamento.

Os R$ 60 milhões em moeda estrangeira foram encaminhadas para o Banco Central (BC) com om objetivo de serem custodiadas. Já os R$ 25 milhões em moeda nacional foram destinados a um termo de fiel depositário para o representante da empresa, cujos valores ficarão sob sua responsabilidade até decisão superior da Justiça Federal.

Com informações da Superintendência Regional da Polícia Federal em Pernambuco

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *