Últimas

Primeiras impressões: tela resistente vale o preço do Moto X Force

A Motorola apresentou ao público nesta quinta-feira, 29, seu mais novo celular top de linha para o mercado brasileiro. O Moto X Force chega às lojas em 4 de novembro custando R$ 3.150, mas com um grande diferencial: a tecnologia Shattershield, que torna a tela quase indestrutível.

No evento de lançamento, o Olhar Digital teve a chance de experimentar o aparelho. À disposição tínhamos pedras, concreto, gesso e piso de madeira para atirarmos o Moto X Force à vontade, a partir de uma altura de, pelo menos, um metro acima do chão. O resultado? A tela sequer trincou.

No entanto, as marcas de uso eram visíveis. Não só o display chegou a ficar sensivelmente polido, com algumas regiões ásperas como uma lixa, como também o chassi de alumínio que contorna a tela ficou nitidamente arranhado. Nada, porém, que prejudicasse a performance ou mesmo a experiência do usuário.

É claro que a ideia da Motorola não é que os clientes atirem seus aparelhos repetidamente em direção ao chão – ou mesmo que o coloquem sob a ferradura de um cavalo, como nesse teste. A foto acima, por exemplo, foi tirada quado o produto já havia sido excessivamente torturado. Como com qualquer smartphone, esse também merece cuidado, especialmente devido o alto preço.

Mas, em relação a acidentes corriqueiros, do tipo que todo usuário já deve ter sofrido ao menos uma vez na vida, não há com que se preocupar: o Moto X Force aguenta o tranco. Contudo, o sistema Shattershield não é o único atrativo do modelo, que conta com configurações de hardware e software de alto nível.

A já tradicional versão quase pura do Android que a Motorola coloca em seus smartphones não está tão lisa no Moto X Force, que traz alguns aplicativos pré-instalados pela própria fabricante (os chamados bloatwares). A experiência, porém, continua tão próxima à linha de celulares Nexus, do Google, quanto possível para uma fabricante “terceirizada”.

Um grande avanço é a câmera, que, com 21MP, agora consegue mudar o foco e a exposição do sensor com muito mais velocidade e fluidez do que outros modelos da linha Moto X e Moto G. Por exemplo: se você está fotografando uma imagem em um ambiente pouco iluminado e, por alguma razão, aponta o celular bruscamente para uma superfície mais brilhante (para o céu ou ambientes externos), a imagem se adapta à iluminação rapidamente, para você não perder o tempo certo da foto. O mesmo acontece com o foco.

Fisicamente, o aparelho é fino e relativamente leve, mas pode incomodar usuários não tão acostumados com uma tela tão grande (5,4 polegadas). Acomodar o Moto X Force no bolso da calça pode ser também um pouco complicado, mas o design se encaixa bem na palma da mão. Contudo, não há com que se preocupar caso o celular saia do controle e vá de encontro ao chão.

A primeira impressão é de que o Moto X Force vale o investimento, especialmente por se tratar de um smartphone dedicado ao uso prolongado. O hardware potente (em teoria) prova que o modelo ainda estará apto para upgrades de sistema e aplicativos por muito tempo, enquanto a tela resistente garante que você não precisará desembolsar mais dinheiro ainda com reparos.

Fonte: Olhar Digital
Matéria originalmente postada no site olhardigital.uol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *