Últimas

"Substituto de luxo" de Grafite, Bruno Moraes deixa para Martelotte decisão sobre a titularidade

Ricardo Fernandes/DP/D.A Press

Bruno Moraes marcou o primeiro gol da vitória tricolor sobre o Criciúma, no Arruda

Saiba mais

A partida contra o Criciúma foi apenas a quarta de Bruno Moraes como titular pelo Santa Cruz. O motivo para o baixo número de partidas é que o técnico Marcelo Martelotte costuma escalar o atacante apenas quando o dono da posição, Grafite, não reúne condições de jogo. No entanto, sempre que tem começado entre os onze, Bruno corresponde deixando pelo menos um gol. Já são cinco com a camisa coral, todos eles marcados nos jogos em que ele entrou de frente. Certamente, vem plantando a dúvida na cabeça do treinador tricolor, para quem ele deixa nas mãos a decisão pela escalação do ataque.

“O professor que quebre a cabeça. Se a opção for entrar com Grafite, ou entrar nós dois, ele sempre vai pensar no melhor para a equipe, e deixo esse problema para ele”, disse o atacante tricolor, que marcou o primeiro gol da vitória coral sobre o Criciúma, concluindo um lance de toques rápidos entre Daniel Costa e Luisinho. “Foi uma jogada que a gente trabalha bastante, tudo em um toque, tudo rápido, e fui feliz na finalização”, disse sobre o lance.

Celebrando a boa fase, Bruno espera fazer ainda mais pela equipe coral: “Tá sendo maravilhoso fazer gol perante a nossa torcida, uma torcida muito calorosa e que empurra. Quero ajudar muito mais o Santa Cruz e poder fazer história aqui”, colocou. “Eu trabalho para isso, fazer gols. Desde o dia que cheguei aqui falei que era um jogador de finalização. Meu objetivo é aumentar ainda mais essa marca.”

Mesmo com os dois gols contra o Criciúma, o ataque do Santa foi criticado por pecar nas finalizações. No início do segundo tempo, poderia ter matado o jogo, não fossem as chances desperdiçadas. Fato minimizado por Bruno. “Quero que todo jogo tenha esse problema de finalização e a gente ganhe por 2 a 0. O importante é a gente somar pontos, e hoje não foi problema. Não corremos risco e fizemos dois gols”, sintetizou. “Entramos bem focados no segundo tempo, fizemos um gol, acabamos recuando mas não oferecemos nenhum risco.”

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *