Últimas

Uma união à altura do desafio

Prestes a completar 190 anos de existência, o Diario de Pernambuco encara o desafio de renovar-se no mercado, sob a batuta de um grupo pernambucano, comandado pelos irmãos Rands: Alexandre e Maurício.

Juntos, têm missão de dirigir o jornal mais antigo em circulação da América Latina, bem como o Aqui PE, os portais Perrnambuco.com e Diariodepernambuco.com.br. Uma mudança nas suas linhas de atuação.

Alexandre, empresário da área de contact center e consultoria, classifica a empreitada como um grande desafio, que contará com a parceria de Maurício, advogado. “Acredito que juntos estaremos à altura do desafio e poderemos dar os resultados que o povo pernambucano espera”, avalia Alexandre Rands. Confira entrevista abaixo.

O que significa a aquisição do controle do Diario de Pernambuco para você?
Além de uma oportunidade ímpar de poder participar da vida do meio de comunicação mais “queridinho” dos pernambucanos, essa empreitada representa um coroamento de uma evolução empresarial de 20 anos.

Como assim?
Desde o início de 1996 que me envolvi em um tipo de empreendimento, cujos objetivos são gerar, organizar, analisar e distribuir informações. No início, com pesquisa, a geração e a organização são os pontos fortes. A análise é menos sofisticada e a distribuição é simples, sendo para poucos beneficiários, que geralmente são bem conhecidos. Logo, a Datamétrica estendeu as atividades para o segmento de consultoria, onde a análise torna-se o ponto mais sofisticado. O ingresso na área de contact center levou a maior complexidade na distribuição, mas todas as demais atividades estão presentes, como uma redução da complexidade na análise, em relação ao das outras duas atividades. Em um jornal, os mesmos ciclos estão envolvidos, mas a distribuição agora deixa de ser de ponta a ponta, com destinatário conhecido e controlado, passando a ser para um público mais amplo e desconhecido. É uma mudança que traz desafio, mas continua dentro da mesma lógica.

A aquisição do controle do Diario de Pernambuco não é um passo empresarial muito grande?
O Diario de Pernambuco é uma empresa cujo faturamento representa menos de 20% do da Datamétrica atual. Ele emprega menos de 10% do pessoal da Datamétrica, que hoje conta com mais de 7 mil colaboradores. Ou seja, em termos empresariais trata-se de um desafio já conhecido. Já tivemos momentos na Datamétrica em que aumentamos bem mais do que isso de um ano para o outro. Ou seja, pelo desafio empresarial, essa aquisição não é algo que assusta. Entretanto, não deixo de reconhecer que ficar responsável por um grande patrimônio do povo pernambucano é um grande desafio. Espero ter amadurecido empresarialmente o suficiente nos últimos 20 anos para dar conta dele. Para isso, vou contar com meu irmão Maurício Rands nesse projeto. Ambos estaremos dando o nosso melhor para o sucesso desse empreendimento. Acredito que juntos estaremos à altura do desafio e poderemos dar os resultados que o povo pernambucano espera.

A participação de Maurício dá um caráter político ao projeto?
De maneira nenhuma. Antes de ter sido político, Maurício já era um profissional muito respeitado nas suas áreas de atuação pela sua seriedade, dedicação e competência. Na política, obviamente, amadureceu ainda mais na sua capacidade de relacionamento com pessoas. Tendo já encerrado o ciclo da política na sua vida, saiu dessa etapa um profissional ainda mais competente, já tendo acumulado experiência de gestão tanto no setor público quanto no setor privado, inclusive no exterior. É pessoa da minha mais alta confiança. Por isso, eu tanto me empenhei em trazê-lo para esse projeto, mesmo sabendo que muitos tentariam utilizar a sua presença para criar um elo com a política. Tenho certeza que ter Maurício ao meu lado foi um passo fundamental para o sucesso futuro do empreendimento. Penso também na felicidade que estaria nosso pai, se ele ainda fosse vivo, pois sempre sonhou que trabalhássemos juntos. Essa é uma boa oportunidade.

O que você espera realizar com esse projeto Diario de Pernambuco?
Nas economias de mercado, a empresa tem dois objetivos. O primeiro é gerar bens e/ou serviços para a sociedade. Ela deve fazer isso da melhor forma possível para a satisfação da população. Esse será o nosso primeiro grande desafio. Gerar informações de qualidade e fidedignas para os pernambucanos. Nesse contexto, o jornal deve reproduzir a pluralidade de nossa sociedade e trazer para dentro de suas páginas a diversidade de opiniões e interesses que a compõem. Acreditamos que um veículo de comunicação, tanto impresso como digital, tem um papel fundamental para o fortalecimento da democracia e da liberdade. Para isso, pensamos em fomentar uma linha jornalística em que os fatos sejam expostos a partir de uma visão pluralista e com profundidade analítica, inclusive dialogando com setores de nossa sociedade que nem sempre têm encontrado o necessário espaço para expressão de suas visões, necessidades e anseios. Além disso, o jornal deve ser um instrumento para ajudar a resgatar a liderança regional de Pernambuco, o que implica em extrapolar os limites de nossas fronteiras em sua atuação. Esses são grandes desafios. O segundo objetivo das empresas nas economias de mercado é gerar bens e/ou serviços da forma mais eficiente possível. Nesse contexto, o jornal terá que ser rentável. Ele terá que dar lucro, pois esse é o instrumento de disciplina para assegurar o equilíbrio entre custos e benefícios de todos os empreendimentos privados em uma sociedade capitalista.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *