Vice-presidente das Maldivas é preso por suposta conspiração

A polícia das Maldivas prendeu neste sábado o vice-presidente do país, Ahmed Adeeb, por suposta ligação com uma explosão ocorrida no mês passado no barco do presidente. Autoridades disseram que a explosão havia sido uma tentativa de assassinato.

Adeeb foi detido no aeroporto, quando retornava de uma visita oficial à China, “sob suspeita de envolvimento na explosão do barco”, disse um porta-voz policial, Ismail Ali. Pouco após a explosão de 28 de setembro, no barco do presidente Yameen Abdul Gayoom, começaram a circular rumores de que Adeeb estaria por trás, mas ele negou envolvimento. Com a morte do presidente, o vice o sucederia.

Três soldados foram também detidos, incluindo um ex-membro da equipe de segurança presidencial, disse o vice-comissário de polícia, Abdullah Nawaz.

A explosão no barco ocorreu quando o presidente e sua mulher voltavam para Malé, a capital das Maldivas, vindos de um aeroporto após participarem da peregrinação do hajj na Arábia Saudita. O aeroporto das Maldivas, uma nação arquipélago no sul da Ásia, fica em uma ilha separada da capital. Gayoom escapou ileso, mas sua mulher, um assessor e um guarda-costas ficaram feridos.

Autoridades inicialmente disseram que a explosão pode ter sido causada por uma falha mecânica, mas anunciaram posteriormente que houve uma tentativa de assassinato contra o presidente. O dispositivo usado para a explosão estava no assento geralmente usado pelo presidente, que escapou porque não estava sentado ali no momento, disse o governo.

Adeeb era um aliado de Gayoom e tornou-se presidente em julho, aos 33 anos. O presidente afastou o ministro da Defesa e o comissário de polícia do país, após a explosão. Fonte: Associated Press.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *