Últimas

Ata do Fed cita que dados da atividade econômica permanecem fracos no Brasil

A piora da economia brasileira foi mencionada na reunião de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) que ocorreu dias 27 e 28 de outubro, segundo a ata do encontro divulgada nesta quarta-feira. “Indicadores de atividade no Japão e no Brasil permanecem fracos”, afirma o documento.

No geral, os dirigentes do Fed se mostraram menos preocupados com a situação da economia mundial. Na reunião de setembro, eles sinalizam maior apreensão com a situação, sobretudo com a desaceleração da China, fator que ajudou o Fed a adiar a elevação das taxas.

Segundo o documento de hoje, a maior parte dos membros do BC vê os riscos externos diminuindo. “O crescimento econômico no exterior parece ter melhorado ligeiramente no terceiro trimestre após dois trimestres de expansão lenta”, afirma a ata da reunião de outubro. O texto menciona que a economia do Canadá voltou a melhorar, após ter entrado em recessão na primeira metade de 2015 por causa da queda do preço do petróleo.

A ata ressalta ainda que o ritmo de alta do Produto Interno Bruto (PIB) da Coreia do Sul saltou para 5% e a China segue se expandindo ao redor de 7% considerando a média de quatro trimestres. “Informações sobre a atividade econômica da zona do euro e do Reino Unido foram consistentes em mostrar continuidade da expansão.” O Brasil e o Japão são exceções a esse cenário e seguem mostrando piora.

Sem citar explicitamente o Brasil, a ata do Fed menciona que a inflação permaneceu elevada em países da América do Sul afetados por forte desvalorização da moeda. Em vários outros países da economia mundial, a inflação está baixa, refletindo a queda dos preços de petróleo.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *