Brasileira recupera vestido picotado e fica entre as dez finalistas do Miss Beleza Internacional 2015

Após ter o vestido picotado supostamente pela representante de Cuba, a miss brasileira Isis Stocco ficou entre as dez finalistas no concurso Miss Beleza Internacional 2015, realizado na madrugada desta quinta-feira, no Japão. À disposição da loira ficou uma costureira que conseguiu consertar a peça. O vestido, no entanto, ficou sem as mangas de pérola. Além do figurino cortado, Isis teve o celular furtado e alguns biquínis que levou sumiram.

Miss Beleza Internacional 2015, Isis Stocco

Miss Beleza Internacional 2015, Isis Stocco Foto: Reprodução

Isis Stocco durante o desfile com o traje típico

Isis Stocco durante o desfile com o traje típico Foto: AFP/ Toru Yamanaka

Isis Stocco e a cubana Heydi Stocco: barraco no quarto

Isis Stocco e a cubana Heydi Stocco: barraco no quarto Foto: reprodução/instagram

Segundo Elaine Barrionuevo, a organizadora da etapa brasileira, Isis chega ao Brasil domingo e não deve levar o caso adiante. “Ela é madura e isso não a abalou, tanto que tivemos um resultado muito satisfatório”, diz.

Heidey Fass, a cubana, não ficou entre as finalistas. Ela e a brasileira dividiam o mesmo quarto de hotel. Há uma semana, Isis Stocco chegou ao quarto e encontrou seu vestido todo picotado. As misses Venezuela e Canadá chegaram a afirmar que emprestariam um vestido para a brasileira. Apesar das acusações de Isis Stocco, a organização do concurso não conseguiu provar que ela seria a culpada.

A vencedora do concurso foi a Miss Venezuela, Edymar Martinez, seguida da Miss Honduras, Jennifer Valle, e a Miss Quênia, Eunice Onyango

Miss Venezuela Edymar Martinez é coroada pela vencedora de 2014

Miss Venezuela Edymar Martinez é coroada pela vencedora de 2014 Foto: AFP/ Toru Hanai

Miss Venezuela exibe coroa e faixa

Miss Venezuela exibe coroa e faixa Foto: Reprodução/ Instagram

As misses Honduras, Venezuela e Quênia

As misses Honduras, Venezuela e Quênia Foto: AFP/ Toru Hanai / AFP

Fonte: Jornal Extra (http://extra.globo.com)

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *