Buscas por desaparecidos são retomadas após tragédia em Minas

Equipes de resgate retomaram na manhã deste sábado a busca por desaparecidos sob a avalanche de lama e de resíduos de minérios que devastou o distrito de Bento Rodrigues, Minas Gerais, enquanto as autoridades iniciavam um registro para tentar esclarecer o número de vítimas.

Centenas de bombeiros, militares e membros da Defesa Civil buscavam sobreviventes no mar de lama que cobriu os arredores da cidade mineira de Mariana, sobretudo no distrito de Bento Rodrigues, devastado pelo barro que invadiu o local após o rompimento das barragens de contenção em dois depósitos de resíduos da mineradora Samarco.

Dois dias após o acidente, o balanço de mortos e desaparecidos é preliminar e as informações das autoridades são contraditórias.

O prefeito de Mariana, Duarte Gonçalves Júnior, informou neste sábado que o balanço oficial é de um morto e de 13 pessoas desaparecidas, trabalhadores da mineradora.

“Só há uma pessoa morta confirmada até agora, mas é provável que (este número) vá aumentar com total segurança”, declarou o prefeito à imprensa.

Além dos 13 trabalhadores desaparecidos, alguns moradores de Bento Rodrigues estariam em paradeiro desconhecido, completou.

“Estamos conversando com os habitantes de Bento e já há quem diga que está faltando alguém, mas não conseguimos fechar este número. Não é um número alto, o que estamos percebendo com os familiares é que de três a seis pessoas, no máximo 10, estão desaparecidas”, declarou o prefeito.

O comandante dos bombeiros de Mariana, Adão Severino Júnior, insiste que os mortos são ao menos 17, enquanto o sindicato de mineração local informou sobre 15 vítimas fatais.

O acidente aconteceu na tarde de quinta-feira, com o rompimento de uma barragem de um depósito com 55 milhões de metros cúbicos de resíduos do processo de extração de minério de ferro. Pouco depois, outro depósito de 7 milhões de m³ de água cedeu e toda esta mistura avançou rapidamente cerca de dois quilômetros para alcançar Bento Rodrigues, de 620 habitantes e que fica a 23 km de Mariana, a cidade mais próxima.

Na quinta-feira, cerca de 500 pessoas já haviam sido resgatadas com vida neste distrito. Depois de limpar a lama e os resíduos de mineração, foram conduzidos a abrigos em Mariana.

Além de arrasar com tudo em seu caminho, a onda de lama causou um “enorme dano ambiental”, segundo um dos investigadores da promotoria do estado de Minas Gerais.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *