Últimas

Dois policiais detidos pela morte de menino de 6 anos nos EUA

Dois policiais foram detidos na sexta-feira acusados de homicídio e tentativa de homicídio após a morte a tiros de um menino de seis anos no estado da Louisiana, sul dos Estados Unidos.

A morte de Jeremy Mardis é a mais recente de uma longa lista de casos de brutalidade ou abusos por parte de policiais desde o ano passado, o que provocou uma grande tensão nos Estados Unidos, em muitos casos com componentes raciais que também provocaram protestos violentos.

O jornal Washington Post informou que Mardis é a vítima mais jovem morta por tiros da polícia este ano. Seu velório está previsto para domingo e o funeral para segunda-feira.

Norris Greenhouse e Derrick Stafford foram suspensos de sua funções depois de uma perseguição de automóvel na terça-feira, durante a qual Jeremy faleceu e Christopher Few, pai do menino e motorista, ficou gravemente ferido.

Outros dois oficiais que participaram na operação também estão em licença administrativa.

Os dados divulgados pela polícia mostram que o menino foi atingido por cinco tiros na cabeça e no peito. Ele morreu com o cinto de segurança afixado no banco do carona.

“Ele não merecia morrer desta maneira e isto é o importante”, disse o coronel Michael Edmonson, da polícia estadual da Louisiana, em uma entrevista coletiva.

Ele afirmou que a a polícia ficou “manchada”.

“Posso dizer que isto é o mais perturbador que já vi”, completou, em referência ao vídeo da perseguição mortal gravado pela câmera no uniforme de um dos policiais.

Investigadores afirmaram ao canal WBRZ que os quatro oficiais iniciaram a perseguição e tentaram retirar o motorista do veículo porque tinham uma ordem de detenção pendente.

O motorista supostamente tentou dar marcha a ré em uma rua sem saída, na direção dos agentes, que abriram fogo em resposta. A emissora, que cita fontes policiais, informou que as autoridades não encontraram armas dentro do veículo.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *