Últimas

Facebook quer criar "máquina de teletransporte" em 10 anos

Os Oculus Rift são só o começo. Em 10 anos, o Facebook quer construir uma ‘máquina de teletransporte’. O anúncio foi feito pelo diretor técnico da rede social, Mike Schroepfer. Segundo ele, até 2025 a companhia quer lançar um dispositivo que “permita estar em qualquer lugar, com qualquer pessoa, independente de fronteiras geográficas”.

De acordo com o executivo, nos próximos anos a tecnologia de realidade virtual deve se desenvolver a ponto de enganar os sentidos os usuários, imitando com perfeição o ambiente desejado, em tempo real.
Para atingir o objetivo, o Facebook está trabalhando em três áreas que ainda precisam se desenvolver para enganar completamente o cérebro. Saiba quais são elas:

1. Ver e sentir
Um dos principais desafios na tarefa de tornar a realidade virtual tão real quando o que vemos é tornar possível que os usuários consigam se ver e sentir o que acontece com seu “corpo virtual”. O Facebook está testando um sensor de pressão que trabalha em conjunto com uma câmera capaz de capturar a expressão facial de quem estiver usando.

Assim, será possível, por exemplo, sentir o aperto de mão de uma pessoa durante uma conversa por vídeo. “É incrível o quão rápido seu cérebro pensa que o encontro acontece com outra pessoa real”, afirma Schroepfer.

2. Imitar o ambiente real
A equipe também está desenvolvendo maneiras de construir e reconstruir uma cena em tempo real. De acordo com a empresa, o trabalho está no começo, mas as possibilidades são “enormes”.

3. Desenvolver seus próprios mundos
Para popularizar a tecnologia, é preciso torná-la acessível a todos. De acordo com Schroepfer, o objetivo é permitir que qualquer usuário consiga criar e moldar objetos e cenas em 3D sem dificuldade. Para isso, o Facebook está desenvolvendo um programa chamado Medium que, quando lançado, vai baratear o processo de criação de mundos virtuais.

Via BusinessInsider

Fonte: Olhar Digital
Matéria originalmente postada no site olhardigital.uol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *