Falha no Windows 3.1 faz aeroporto em Paris fechar temporariamente

O aeroporto de Orly, em Paris, teve que ser temporariamente fechado no último sábado por causa de um erro no Windows… 3.1. Isso mesmo. O sistema lançado em 1992 pela Microsoft ainda é usado nos sistemas de comunicação de voo, conforme explica a Vice.

Para enviar informações aos pilotos, o aeroporto de Orly utiliza um sistema chamado DECOR, que é essencial em situações de baixa visibilidade, permitindo que os aviões pousem em segurança mesmo que o piloto não consiga enxergar a pista adequadamente.

Todo mundo já ouviu a máxima “em time que está ganhando não se mexe”. Ela é levada ao extremo pelos aeroportos franceses. É o que explica Alexandre Fiacre, secretário geral da UNSA-IESSA, o sindicato que representa os controladores de voo no país.

“As ferramentas usadas pelos controladores nos aeroportos de Paris funcionam em quatro sistemas operacionais diferentes, e todos eles têm entre 10 e 20 anos de idade”, afirmou ele à Vice. Além do Windows 3.1, entra na lista o também descontinuado Windows XP e outros sistemas UNIX não especificados.

Reprodução

Mas se está funcionando, qual é o problema? Fiacre também explica que manter esses softwares defasados está ficando mais difícil, porque praticamente não há mais especialistas em suporte. “Estamos perdendo a expertise para lidar com este tipo de sistema operacional. Em Paris, nós só temos três especialistas que podem resolver problemas relacionados ao DECOR”. E a situação tende a piorar, porque um deles vai se aposentar no ano que vem, e ainda não arrumaram um substituto.

Felizmente, a França deve passar por uma modernização de seus sistemas de aeroportos em breve. O ministro do transporte francês diz que isso deve acontecer em 2017, mas o sindicato tem uma visão mais pessimista, acreditando que isso não acontecerá antes de 2019.

Só falta escolherem atualizar seus sistemas para o Windows Vista.

Via Ars Technica e Vice 

Fonte: Olhar Digital
Matéria originalmente postada no site olhardigital.uol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *