Últimas

Game brasileiro do 'Lampião Verde' busca financiamento coletivo

Você certamente conhece o Lanterna Verde, aquele super-herói da DC Comics que, munido de um anel energético, consegue transformar seus pensamentos em objetos físicos reais. E se adicionarmos um tempero nordestino à fórmula? O resultado é o Lampião Verde.

O personagem nasceu como uma paródia circulando por fóruns da internet até se tornar uma figura conhecida em eventos para gamers, sendo fonte de inspiração para diversos cosplayers. Agora, um estúdio paraibano está desenvolvendo um game baseado no super-herói, e conta com uma campanha no site de financiamento coletivo Kickante para levá-lo às lojas.

“Lampião Verde – A Maldição da Botija” coloca o icônico cangaceiro brasileiro Virgulino Ferreira da Silva, o Lampião, em uma história que mistura fantasia, aventura e cultura nordestina. Rubem Medeiros, diretor do estúdio Narsvera, responsável pelo projeto, explica do que se trata o game em entrevista ao Olhar Digital.

Segundo ele, apesar do tom de paródia expresso no título, a temática é bem menos descompromissada do que parece. “Hoje, com o projeto estabelecido e em produção, é um jogo bastante sombrio e profundo. O Lampião é um velho moribundo que, ao resgatar uma botija mágica, ganha poderes e ao mesmo tempo uma maldição. Terá que enfrentar seu passado de malfeitos e se redimir de seus pecados para salvar o Sertão Profundo.”

Para os que pouco conhecem o rico vocabulário nordestino, uma botija é uma espécie de vasilhame de barro. Já o Sertão Profundo é um ambiente criado para o jogo, onde vivem as criaturas místicas do folclore nordestino que vão atrapalhar a jornada do herói em busca de redenção. Como o game ainda está em fases iniciais de produção, não há vídeos de gameplay, mas já podemos conferir algumas artes conceituais do que o produto final nos reserva (logo abaixo).

As referências à cultura do sertão são inúmeras, incluindo manifestações de rua como os Bonecos de Olinda, Bois-bumbá e Caboclos de Lança, a fauna e a flora da região e uma trilha sonora composta por ritmos como baião e maracatu. A narrativa tem influência de autores como Elomar Figueira Mello, Ariano Suassuna, Augusto dos Anjos e do cineasta Glauber Rocha.

Reprodução

“No último ano trabalhamos fortemente construindo um mundo de fantasia que integrasse as mais variadas manifestações culturais nordestinas, ressignificando-as em um universo coeso”, conta Rubens. Mas mesmo com essa forte presença da cultura nacional no conceito do game, a referência ao super-herói norte-americano não passa despercebida.

Mas a Narsvera fez o dever de casa. Em resposta a um usuário do YouTube que questionou possíveis problemas legais com relação ao uso da iconografia de personagens da DC Comics, o estúdio explicou que paródias fazem parte do direito à liberdade de expressão. Desde que o Lampião Verde tenha uma história, poderes, falas e visual diferentes de sua contraparte americana.

Todo o trabalho do game – cuja mecânica deve ser semelhante à de jogos de ação como God of War, misturando ação plataforma em 3D com elementos de RPG – é tarefa de uma equipe formada por apenas seis pessoas. Cada profissional foi escolhido a dedo para desempenhar múltiplas funções durante o projeto.

“O programador também é compositor de trilha sonora, o ilustrador e modelador também é fotógrafo, animador e compositor, a redatora também é cantora, o compositor também é ator, etc. Assim ocorre uma forte sinergia no projeto”, conta Rubem. Mas é claro que o número reduzido de profissionais se deve, principalmente, às restrições orçamentárias do projeto.

De acordo com o diretor do estúdio, “o Brasil até vem se destacando pelo alto poder de fazer muito com tão pouco, mas não é sustentável”. Mesmo assim, para ele, os limites do baixo orçamento podem ser superados. O principal obstáculo é mais uma questão de geografia.

“O estúdio está localizado em Campina Grande, interior da Paraíba. A visibilidade de qualquer projeto é bastante comprometida e temos que ter um trabalho redobrado na área de marketing e networking para que as produções encontrem seu devido público”, diz Rubem. Uma preocupação justificada se pensarmos no tamanho do Brasil e no distanciamento entre as culturas de diferentes regiões.

Por conta disso, a campanha pela internet, redes sociais e em eventos de games pelo Brasil reforçam o comprometimento da equipe em fazer um jogo completo. No Kickante, o projeto tem uma meta de R$ 30 mil a ser alcançada até dezembro. Se tiver sucesso, “Lampião Verde – A Maldição da Botija” chega às lojas virtuais em setembro de 2016, para PCs e Macs.

Confira o trailer:

[embedded content]

Fonte: Olhar Digital
Matéria originalmente postada no site olhardigital.uol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *