Lula pede a petistas ajuda para tirar Dilma de ‘encalacrada’ da oposição

Ex-presidente discursou em evento da juventude do PT em Brasília. Ele ainda disse que não haverá 2018 sem 2016, em referência às eleições

 

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu nesta sexta-feira (20) ajuda a jovens do PT para tirar Dilma Rousseff da “encalacrada” em que, segundo ele, a oposição colocou o partido. Lula discursou em evento da juventude petista em Brasília.

Ele fez referência às próximas eleições presidenciais, em 2018, e afirmou que, antes de pensar no pleito, os militantes devem se concentrar em auxiliar a presidente.

“Antes de chegar em 2018, temos que ajudar a companheira Dilma a sair da encalacrada que a oposição colocou a gente”, afirmou Lula.

“A primeira tarefa é ajudar a companheira Dilma. Espero que seja aprovado tudo o que ela quer até o final do ano para virar a página do ajuste e abrir a página do crescimento”, completou depois.

Segundo Lula, o PT não chegará forte às eleições presidenciais de 2018 se não conseguir um bom resultado nas eleições municipais do ano que vem. Por isso, pediu à juventude do partido, além do apoio a Dilma, defesa do legado dos governos petistas e maior engajamento na política.

“Não tem 2018 se a gente não tiver 2016. Precisamos construir 2016”, afirmou o ex-presidente. Ele defendeu o lançamento de mais candidaturas para a disputa do ano que vem e formação de alianças para governar.

Levy e PMDB
Durante a abertura do congresso, militantes petistas bradavam gritos de ordem contra o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, maior defensor do ajuste fiscal, e contra o PMDB, que propôs recentemente uma agenda econômica mais liberal para o país.

Em resposta, Lula disse que “é hora de a gente se juntar e ajudar a Dilma e o PT”. “Apenas escrever num documento fora Levy ou fora PMDB é muito pouco”, disse, sugerindo que o congresso da juventude traga propostas para o país. Nos últimos dias, o presidente deu entrevistas e fez discursos em que, ao contrário do que vem sendo noticiado na imprensa, ele não defendia a saída de Levy da pasta.

“Quero saber qual é a proposta nossa da juventude para a educação desse país. Quero saber o que esse Congresso vai aprovar para a geração de emprego para nossa juventude”, afirmou Lula.

 

 

G1

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *