Manifestação anti-refugiados reúne 5.000 pessoas em Berlim

Cerca de 5.000 pessoas se manifestaram neste sábado, em Berlim, convocadas pelo partido populista “Alternative für Deutschland” (AfD), para protestar contra a política de acolhida de refugiados da chanceler alemã, Angela Merkel, sob as vaias de outros 800 manifestantes contrários.

“Merkel deve sair”, “traidora do povo”, bradavam os manifestantes, carregando bandeiras alemãs e cartazes criticando a política de imigração do governo, constatou a AFP.

“Manifestamos contra o caos do asilo provocado por Angela Merkel”, declarou a eurodeputada do AfD Beatrix von Storch ao começar a concentração em frente à prefeitura de Berlim.

Os organizadores da mobilização iniciada às 13H00 local (09H00 Brasília) tiveram como lema “O asilo tem limites – Cartão vermelho para Merkel”.

O partido AfD, criado em 2013 em uma linha a princípio anti-euro, organiza regularmente manifestações anti-refugiados na Alemanha. O AfD se opõe à política de acolhida de migrantes que fogem das guerras e perseguições realizada por Merkel – o país poderá acolher 1 milhão de demandantes de asilo em 2015.

Paralelamente, cerca de 800 contramanifestantes, segundo cálculos da polícia, tentaram perturbar a mobilização acompanhando a marcha com vaias e insultos.

Cerca de 1.100 policiais dispersaram o grupo e interviram para impedir os contramanifestantes de forçarem as barreiras instaladas.

Contudo, alguns dos manifestantes de ambas as partes se enfrentaram verbalmente e a polícia teve que intervir. Segundo uma fonte policial, 40 pessoas foram detidas e um agente ficou levemente ferido.

Ao todo, cinco contramanifestações foram organizadas neste sábado em Berlim. Uma delas sob o lema “Manifestação por uma Berlim cosmopolita” foi apoiada por um amplo espectro de partidos políticos e sindicatos, reunindo 600 pessoas atrás do Portão de Brandemburgo, segundo a polícia. Os organizadores esperavam milhares de participantes.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *