Últimas

Pedra de Rosetta e milhares de obras do British Museum estão disponíveis na web

Acervo do espaço é um dos mais relevantes para as artes do mundo. Foto: Niklas Halle'n/AFP
Acervo do espaço é um dos mais relevantes para as artes do mundo. Foto: Niklas Halle’n/AFP

Milhares de objetos de coleções com valor incalculável do British Museum estão disponíveis na internet graças a uma associação com o Google, que também permitirá aos usuários fazer um passeio virtual por suas galerias.

Confira o roteiro de exposições no Divirta-se
O acordo com o Instituto Cultural do Google, que tem 800 sócios de mais de 60 países, permite aos internautas observar nos mínimos detalhes os objetos, resultado de uma tecnologia de alta definição.

As peças que podem ser observadas incluem a famosa pedra Rosetta, que ajudou na compreensão dos hieróglifos do Egito, e as esculturas do Partenon de Atenas.

“O mundo de hoje mudou, a forma como acessamos a informação sofreu uma revolução com a tecnologia digital”, disse o diretor do Museu Britânico, Neil MacGregor.

“Agora é possível tornar a coleção acessível, explorável e agradável não apenas para aqueles que a visitam fisicamente, mas a todos com um computador ou um dispositivo móvel”, disse.

O British Museum e o Google revelaram que as coleções constituem “o maior espaço fechado capturado pelo Street View”, programa que permite observar as ruas de muitas cidades do mundo.

O Google anunciou uma iniciativa similar no mês passado que permitirá aos usuários observar 500 mil obras das coleções dos museus franceses.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *