Por Arthur e geração de torcedores, Santa Cruz joga o acesso em Itu contra o Mogi Mirim

Yuri de Lira/DP/D.A.Press

Criado bem longe do Recife, Arthur nunca viu o Santa na Série A, mas estará no estádio e quer o acesso

Itu – Em 27 de novembro de 2007, nascia o Arthur, um pequeno tricolor. Nunca viu o Santa Cruz na Primeira Divisão. Foi no ano que ele nasceu, aliás, que a Cobra Coral iniciou a sua trajetória no submundo do futebol brasileiro. Arthur veio ao mundo a 2.683 quilômetros do Recife, em Itu. Ainda assim, mesmo longe de Pernambuco e sem nunca sequer ter ido a um jogo do time, nutre um amor incondicional pelo clube. Por capricho do destino, a sua cidade natal será palco do jogo decisivo contra Mogi Mirim, às 16h30 deste sábado. O menino, claro, estará no Novelli Júnior à espera do acesso. Quer voltar para casa com a certeza que os seus próximos anos como torcedor serão melhores que os seus primeiros. Na elite.

Saiba mais

Arthur despertou interesse pelo Santa Cruz graças ao avô, Delmiro Pereira. Nascido em Nazaré da Mata, criado em Carpina e há 32 anos na cidade do interior paulista – onde trabalha em uma serralharia – perdeu muito do sotaque “pernambuquês”. Mas nunca a paixão pelo clube que torce desde a infância. Apesar do genro e pai do seu neto ser palmeirense, exige a manutenção da tradição coral na família. “O Santa é a nossa raiz. Temos que passar de geração em geração para nunca morrer, independente se o time esteja bem ou mal.”

Ontem, nos últimos preparativos do Santa Cruz antes da partida com o Mogi, Delmiro fez questão de levar Arthur ao Novelli Júnior para ver os comandados do técnico Marcelo Martelotte treinarem. Foi apenas um aperitivo para o jogo. Embora tímido, o menino não escondia a satisfação de estar ali. Devidamente trajado com a sua camisa em três cores, prestava atenção em cada minúcia do treino com olhares analíticos, como se fora um entendedor nato do assunto.

Na verdade, ele queria mesmo era apreciar o seu time de coração, ainda que em um simples treino recreativo. Não perdia um lance. A entrevista que concedia à reportagem parecia até atrapalhá-lo como espectador. “Eu só via o Santa na televisão antes.” Logo depois, completou. “Algum dia da minha vida, eu sonho em jogar no Santa”, falou – como se cada jogador que ali treinava fosse um espelho, uma referência, um herói. Hoje, nenhum deles pode decepcioná-lo. Artur fala que, em sua “estreia”como torcedor de campo, vai fazer a sua parte. “Eu vou levar sorte.”

Ficha do jogo

Mogi Mirim
Daniel; Michel Tiago, Pablo, Renato Camilo e Dieguinho; Henrique Motta, Romarinho e Anderson Rosa; Everaldo (Dunguinha), Keké e Jô. Técnico: Toninho Cecílio.

Santa Cruz
Tiago Cardoso; Vitor, Alemão, Danny Morais e Allan Vieira; Wellington Cézar, João Paulo, Daniel Costa, Renatinho e Luisinho; Bruno Moraes. Técnico: Marcelo Martelotte.

Local: Estádio Novelli Júnior (Itu-SP). Horário: 16h30 (horário do Recife). Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (GO-Fifa). Assistentes: Jesmar Benedito Miranda de Paula (GO) e Leone Carvalho Rocha (GO). Ingressos: R$ 80 (arquibancada) e R$ 40 (meia-entrada)

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *