Últimas

Programador cria scripts para automatizar sua vida

Bill Gates já dizia: a preguiça não é, necessariamente, uma característica ruim. Engenheiros preguiçosos mas criativos conseguirão encontrar o modo mais eficiente e rápido de concluir uma tarefa. Este é certamente o caso de um programador anônimo, que automatizou várias partes de sua vida pessoal e profissional com alguns scripts.

A história é a seguinte: um programador que não teve seu nome divulgado, deixou seu emprego. Seus ex-colegas foram analisar o seu “legado” na empresa e resolveram publicar o material no GitHub, um repositório online voltado para programadores. E o que se descobriu era que o anônimo era um gênio; era o tipo de cara que “se algo, qualquer coisa, toma mais de 90 segundos de seu tempo, ele cria um script para automatizar aquilo”, conta o usuário do GitHub Narkoz.

Os scripts variam bastante em funções. Uma delas incluía um sistema que detectava se ele não estava logado no escritório às 8h45. Caso isso fosse observado, um e-mail era enviado automaticamente para o seu chefe, avisando que ele não estava bem e iria trabalhar de casa. Outro script usava uma lista de desculpas enviadas por mensagens de texto para a esposa, justificando o atraso para chegar do trabalho até sua casa.

Uma das funções mais interessantes se chama “kumar_asshole”. Este script com nome pouco educado foi a forma deste programador lidar com um cliente que ele considerava mais irritante. Ele fazia uma varredura dos e-mails enviados por este tal Kumar que continha palavras como “help”, “sorry” ou “trouble” (“ajuda”, “desculpas” ou “problemas” em inglês). Assim que uma mensagem do tipo chegava, o script automaticamente revertia o banco de dados do usuário para o backup mais recente e enviava uma mensagem “Sem problemas, tenha mais cuidado da próxima vez”.

O que mais impressionou seus ex-colegas, no entanto foi a automatização da máquina de café. O script espera exatos 17 segundos para iniciar uma sessão com a máquina e manda alguns comandos que seus colegas descreveram como ininteligíveis. O código faz com que a cafeteira comece a preparar um latte médio semidescafeinado e espera mais 24 segundos antes de começar a colocá-lo em um copo. Os segundos são o exato tempo entre levantar da cadeira e caminhar até a máquina. Enquanto isso, seus colegas sequer sabiam que a máquina rodava Linux e estava conectada à rede da empresa.

Via The Next Web 

Fonte: Olhar Digital
Matéria originalmente postada no site olhardigital.uol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *