Últimas

Quatro sírios e dois paquistaneses são presos no Caribe com documentos falsos

Três sírios que viajavam com passaportes gregos falsificados estão detidos na ilha caribenha holandesa de St. Maarten, segundo informaram as autoridades locais neste sábado. Enquanto isso, as autoridades de Honduras realizaram a detenção de um sírio e dois paquistaneses que viajavam de ônibus.

O escritório da promotoria pública de St. Maarten disse que os três sírios foram detidos no último dia 14 de novembro, e que uma investigação ainda estava tentando determinar suas identidades, além de obter informações sobre como e onde foram obtidos os documentos falsos. Funcionários disseram que não acreditam que os sírios estão vinculados a quaisquer grupos terroristas, e não tinha solicitado asilo.

As autoridades hondurenhas informaram que uma mulher síria e dois paquistaneses foram detidos depois que eles entraram no país em um ônibus que saiu da Nicarágua. O porta-voz da polícia hondurenha, Anibal Baca, disse que as autoridades estavam procurando quaisquer ligações entre o trio e cinco homens sírios que foram detidos na capital de Honduras na última terça-feira, por viajar com passaportes supostamente roubados na Grécia. Quatro dos cinco detidos aparentemente eram estudantes.

Os funcionários da imigração estão investigando para determinar a validade dos documentos de viagem apresentados pelas três pessoas detidas neste sábado, o gabinete do promotor contou que solicitou ajuda da Interpol para auxiliar na identificação.

Kathya Rodriguez, diretora da imigração na Costa Rica, disse que os cinco sírios detidos em Honduras não parecem ter quaisquer ligações com grupos terroristas. Ela disse que o grupo entrou em Honduras a partir de Costa Rica, depois de paradas no Líbano, Turquia, Brasil e Argentina.

Em St. Maarten, o porta-voz do procurador, Norman Serphos, disse que os três homens detidos chegaram em um vôo da Insel Air a partir do Haiti. Autoridades disseram que os sírios tinham viajado da Europa para o Brasil, em seguida se dirigiram para a República Dominicana e para o Haiti antes de entrar em St. Maarten. Não ficou claro para onde estavam indo.

Os promotores disseram que eles tinham compartilhado a informação com a Interpol e outras agências policiais internacionais, incluindo as autoridades norte-americanas. Também nesta semana, oficiais da Costa Rica prenderam uma mulher síria por supostamente viajar com documentos falsificados.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *