Últimas

Rodolpho relembra altos e baixos do Náutico e destaca: "Esse grupo consegue fazer o inexplicável"

Hildo Neto/Comunicação CNC

Goleiro convocou a torcida do Náutico para apoiar o time na decisão contra o Paraná

Saiba mais

Rodolpho passou por quase tudo no Náutico. Revelado em 2001 pelo Alvirrubro, ele conquistou títulos, viveu uma das maiores tragédias da história do clube (a partida contra o Grêmio, pela Série B de 2005), foi do amor ao ódio da torcida e agora vive uma fase de estabilidade, como reserva da equipe após a volta. No entanto, mesmo com uma grande bagagem, ressalta que o time de 2015 é diferente. Consegue se recuperar de derrotas improváveis e, mesmo com as muitas oscilações, mantém-se forte na briga pelo acesso.

“Esse grupo consegue fazer o inexplicável. Quando todos não acreditam vamos lá e conseguimos uma vitória. Nesse ano tivemos derrotas desastrosas e começamos uma Série B no G4. Tivemos oscilações, mas acho que superação e a palavra que define essa equipe. Nosso treinador tem colocado isso pra gente. É um grupo de qualidade e que vai fazer por merecer”, destacou o goleiro.

Rodolpho foi recontratado em junho deste ano, quando o Timbu vivia uma excelente fase na Série B. Acompanhou a equipe durante a queda que lhe custou a vaga no G4, e agora vê o time de volta na briga pelo acesso. Apesar de só ter jogado uma partida nesse tempo (contra o Bahia, na Fonte Nova), ele tem tentado passar tranquilidade ao grupo, e faz uso de sua experiência.

“A gente procura passar as experiências que vivemos no futebol. Acho que uma palavra, um gesto dos jogadores mais experientes é importante. Não estou jogando, mas procuro passar isso para os mais jovens”, comenta. Algo necessário para uma equipe que briga ponto a ponto por uma concorrida vaga no grupo que subirá à Primeira Divisão no ano que vem. “Essa Série B tem sido uma das mais disputadas dos últimos anos. O Náutico está na briga e o torcedor tem que acreditar como nós estamos acreditando. Estamos trabalhando muito e focados”, ponderou.

Patrimônio do clube
Querido pelos torcedores e assumidamente torcedor do Náutico, Rodolpho faz questão, sempre que pode, de elogiar o clube e a torcida. Na entrevista após o treino desta quinta-feira, na Arena Pernambuco, não foi diferente. Aproveitou, também, para convocar a torcida para a importante partida contra o Paraná, neste sábado, na Arena Pernambuco. “O clube não é feito apenas por jogadores. Existe uma retaguarda. Com funcionários e diretoria. Mas o clube é do torcedor. Todos passam, mas o torcedor fica. A importância do torcedor é enorme e ele tem que apoiar do começo ao fim”, encerrou.

Fotos: A trajetória de Rodolpho no Náutico




  • Arquivo/DP/D.A Press

    Revelado no Náutico, Rodolpho fez parte dos elencos dos últimos três títulos do clube, em 2001, 2002 e 2004, sempre na suplência. Em 2005 foi titular durante a campanha da Série B, que culminou com a eliminação para o Grêmio na Batalha dos Aflitos. No ano seguinte, também fez parte do elenco que conseguiu o acesso à Série A. Após deixar o Alvirrubro, em 2007, Rodolpho passou por Uberaba, Fortaleza, América-RN, Ypiranga-RS e Chapecoense, pelo qual foi campeão catarinense em 2011, sendo eleito também o melhor goleiro da competição. Em seguida, defendeu o Marcílio Dias até 2013. Depois, o arqueiro passou por uma cirurgia no ombro e fez o tratamento no Náutico até ser anunciado como reforço do clube em junho deste ano. A sua última partida com a camisa alvirrubra foi em julho de 2007 quando o Náutico perdeu por 4 a 1 para o Cruzeiro, nos Aflitos, pelo Brasileiro da Série A.
  • Arquivo/DP/D.A Press

    Revelado no Náutico, Rodolpho fez parte dos elencos dos últimos três títulos do clube, em 2001, 2002 e 2004, sempre na suplência. Em 2005 foi titular durante a campanha da Série B, que culminou com a eliminação para o Grêmio na Batalha dos Aflitos. No ano seguinte, também fez parte do elenco que conseguiu o acesso à Série A. Após deixar o Alvirrubro, em 2007, Rodolpho passou por Uberaba, Fortaleza, América-RN, Ypiranga-RS e Chapecoense, pelo qual foi campeão catarinense em 2011, sendo eleito também o melhor goleiro da competição. Em seguida, defendeu o Marcílio Dias até 2013. Depois, o arqueiro passou por uma cirurgia no ombro e fez o tratamento no Náutico até ser anunciado como reforço do clube em junho deste ano. A sua última partida com a camisa alvirrubra foi em julho de 2007 quando o Náutico perdeu por 4 a 1 para o Cruzeiro, nos Aflitos, pelo Brasileiro da Série A.
  • Arquivo/DP/D.A Press

    Revelado no Náutico, Rodolpho fez parte dos elencos dos últimos três títulos do clube, em 2001, 2002 e 2004, sempre na suplência. Em 2005 foi titular durante a campanha da Série B, que culminou com a eliminação para o Grêmio na Batalha dos Aflitos. No ano seguinte, também fez parte do elenco que conseguiu o acesso à Série A. Após deixar o Alvirrubro, em 2007, Rodolpho passou por Uberaba, Fortaleza, América-RN, Ypiranga-RS e Chapecoense, pelo qual foi campeão catarinense em 2011, sendo eleito também o melhor goleiro da competição. Em seguida, defendeu o Marcílio Dias até 2013. Depois, o arqueiro passou por uma cirurgia no ombro e fez o tratamento no Náutico até ser anunciado como reforço do clube em junho deste ano. A sua última partida com a camisa alvirrubra foi em julho de 2007 quando o Náutico perdeu por 4 a 1 para o Cruzeiro, nos Aflitos, pelo Brasileiro da Série A.
  • Arquivo/DP/D.A Press

    Revelado no Náutico, Rodolpho fez parte dos elencos dos últimos três títulos do clube, em 2001, 2002 e 2004, sempre na suplência. Em 2005 foi titular durante a campanha da Série B, que culminou com a eliminação para o Grêmio na Batalha dos Aflitos. No ano seguinte, também fez parte do elenco que conseguiu o acesso à Série A. Após deixar o Alvirrubro, em 2007, Rodolpho passou por Uberaba, Fortaleza, América-RN, Ypiranga-RS e Chapecoense, pelo qual foi campeão catarinense em 2011, sendo eleito também o melhor goleiro da competição. Em seguida, defendeu o Marcílio Dias até 2013. Depois, o arqueiro passou por uma cirurgia no ombro e fez o tratamento no Náutico até ser anunciado como reforço do clube em junho deste ano. A sua última partida com a camisa alvirrubra foi em julho de 2007 quando o Náutico perdeu por 4 a 1 para o Cruzeiro, nos Aflitos, pelo Brasileiro da Série A.
  • Arquivo/DP/D.A Press

    Revelado no Náutico, Rodolpho fez parte dos elencos dos últimos três títulos do clube, em 2001, 2002 e 2004, sempre na suplência. Em 2005 foi titular durante a campanha da Série B, que culminou com a eliminação para o Grêmio na Batalha dos Aflitos. No ano seguinte, também fez parte do elenco que conseguiu o acesso à Série A. Após deixar o Alvirrubro, em 2007, Rodolpho passou por Uberaba, Fortaleza, América-RN, Ypiranga-RS e Chapecoense, pelo qual foi campeão catarinense em 2011, sendo eleito também o melhor goleiro da competição. Em seguida, defendeu o Marcílio Dias até 2013. Depois, o arqueiro passou por uma cirurgia no ombro e fez o tratamento no Náutico até ser anunciado como reforço do clube em junho deste ano. A sua última partida com a camisa alvirrubra foi em julho de 2007 quando o Náutico perdeu por 4 a 1 para o Cruzeiro, nos Aflitos, pelo Brasileiro da Série A.
  • Arquivo/DP/D.A Press

    Em 2005,  o goleiro Rodolpho foi titular na Batalha dos Aflitos, quando o time acabou derrotado para o Grêmio e não subiu para a Série A. O jogador deixou o campo chorando.
  • Arquivo/DP/D.A Press

    Rodolpho é cumprimentado pela torcida do Náutico após deixar os vestiários ainda triste com a derrota para o Grêmio na Batalha dos Aflitos em 2005.
  • Arquivo/DP/D.A Press

    Revelado no Náutico, Rodolpho fez parte dos elencos dos últimos três títulos do clube, em 2001, 2002 e 2004, sempre na suplência. Em 2005 foi titular durante a campanha da Série B, que culminou com a eliminação para o Grêmio na Batalha dos Aflitos. No ano seguinte, também fez parte do elenco que conseguiu o acesso à Série A. Após deixar o Alvirrubro, em 2007, Rodolpho passou por Uberaba, Fortaleza, América-RN, Ypiranga-RS e Chapecoense, pelo qual foi campeão catarinense em 2011, sendo eleito também o melhor goleiro da competição. Em seguida, defendeu o Marcílio Dias até 2013. Depois, o arqueiro passou por uma cirurgia no ombro e fez o tratamento no Náutico até ser anunciado como reforço do clube em junho deste ano. A sua última partida com a camisa alvirrubra foi em julho de 2007 quando o Náutico perdeu por 4 a 1 para o Cruzeiro, nos Aflitos, pelo Brasileiro da Série A.
  • Arquivo/DP/D.A Press

    Revelado no Náutico, Rodolpho fez parte dos elencos dos últimos três títulos do clube, em 2001, 2002 e 2004, sempre na suplência. Em 2005 foi titular durante a campanha da Série B, que culminou com a eliminação para o Grêmio na Batalha dos Aflitos. No ano seguinte, também fez parte do elenco que conseguiu o acesso à Série A. Após deixar o Alvirrubro, em 2007, Rodolpho passou por Uberaba, Fortaleza, América-RN, Ypiranga-RS e Chapecoense, pelo qual foi campeão catarinense em 2011, sendo eleito também o melhor goleiro da competição. Em seguida, defendeu o Marcílio Dias até 2013. Depois, o arqueiro passou por uma cirurgia no ombro e fez o tratamento no Náutico até ser anunciado como reforço do clube em junho deste ano. A sua última partida com a camisa alvirrubra foi em julho de 2007 quando o Náutico perdeu por 4 a 1 para o Cruzeiro, nos Aflitos, pelo Brasileiro da Série A.
  • Arquivo/DP/D.A Press

    Revelado no Náutico, Rodolpho fez parte dos elencos dos últimos três títulos do clube, em 2001, 2002 e 2004, sempre na suplência. Em 2005 foi titular durante a campanha da Série B, que culminou com a eliminação para o Grêmio na Batalha dos Aflitos. No ano seguinte, também fez parte do elenco que conseguiu o acesso à Série A. Após deixar o Alvirrubro, em 2007, Rodolpho passou por Uberaba, Fortaleza, América-RN, Ypiranga-RS e Chapecoense, pelo qual foi campeão catarinense em 2011, sendo eleito também o melhor goleiro da competição. Em seguida, defendeu o Marcílio Dias até 2013. Depois, o arqueiro passou por uma cirurgia no ombro e fez o tratamento no Náutico até ser anunciado como reforço do clube em junho deste ano. A sua última partida com a camisa alvirrubra foi em julho de 2007 quando o Náutico perdeu por 4 a 1 para o Cruzeiro, nos Aflitos, pelo Brasileiro da Série A.
  • Arquivo/DP/D.A Press

    Revelado no Náutico, Rodolpho fez parte dos elencos dos últimos três títulos do clube, em 2001, 2002 e 2004, sempre na suplência. Em 2005 foi titular durante a campanha da Série B, que culminou com a eliminação para o Grêmio na Batalha dos Aflitos. No ano seguinte, também fez parte do elenco que conseguiu o acesso à Série A. Após deixar o Alvirrubro, em 2007, Rodolpho passou por Uberaba, Fortaleza, América-RN, Ypiranga-RS e Chapecoense, pelo qual foi campeão catarinense em 2011, sendo eleito também o melhor goleiro da competição. Em seguida, defendeu o Marcílio Dias até 2013. Depois, o arqueiro passou por uma cirurgia no ombro e fez o tratamento no Náutico até ser anunciado como reforço do clube em junho deste ano. A sua última partida com a camisa alvirrubra foi em julho de 2007 quando o Náutico perdeu por 4 a 1 para o Cruzeiro, nos Aflitos, pelo Brasileiro da Série A.

Não existe uma descrição para essa imagem ou galleria

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *