Últimas

Segundo Banco Central Europeu, bancos gregos precisam de até 14,4 bilhões de euros em recapitalização

An EU and a Greek flag wave above the ancient temple of Parthenon atop the Acropolis hill in Athens on July 7, 2015. Eurozone leaders will hold an emergency summit in Brussels on July 7 to discuss the fallout from Greek voters' defiant
An EU and a Greek flag wave above the ancient temple of Parthenon atop the Acropolis hill in Athens on July 7, 2015. Eurozone leaders will hold an emergency summit in Brussels on July 7 to discuss the fallout from Greek voters’ defiant “No” to further austerity measures, with the country’s Prime Minister Alexis Tsipras set to unveil new proposals for talks. AFP PHOTO /ARIS MESSINIS © AFP/Arquivos Aris Messinis

Frankfurt am Main (AFP) – O Banco Central Europeu (BCE) afirmou neste sábado que os quatro principais bancos gregos privados precisam de até 14,4 bilhões de euros de capital, um valor inferior ao previsto pelos sócios da Grécia para sua recapitalização. 

O banco central revisou durante os últimos meses os ativos das entidades bancárias e fez um teste de resistência. “Esta revisão minuciosa revela uma falta de capital de 4,4 bilhões de euros em um cenário ideal e de 14,4 em um cenário adverso”, informou o BCE em comunicado. Os bancos são o Alpha Bank, o Eurobank, o NBG e o Piraeus Bank. Este último é o mais frágil, com uma falta de capital de aproximadamente 5 bilhões de euros em caso de cenário desfavorável e de 2,2 bilhões em um cenário ideal.

Os quatro bancos citados têm até 6 de novembro para apresentar um plano de refinanciamento à autoridade europeia de supervisão, o novo órgão de controle bancário lançado em novembro de 2014 sob os auspícios do BCE. Afetados nos últimos anos pela morosidade em um contexto de forte recessão no país, os bancos gregos se enfraqueceram ainda mais com a fuga de capitais, sobretudo durante o primeiro semestre de 2015, coincidindo com a crise entre o governo de esquerda grego e seus sócios europeus.

A recapitalização dos quatro mais importantes bancos  gregos faz parte do novo empréstimo concedido à Grécia em julho pela zona do euro e pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) para evitar a moratória. Pelo acordo, 25 bilhões de euros seriam para a recapitalização dos bancos gregos, dos quais 10.000 teriam como destino o Fundo Helênico de Estabilidade (FHS). Na sexta-feira, o governo grego apresentou no parlamento um projeto de lei com as regras que devem permitir o lançamento desta recapitalização a partir de segunda-feira. O texto reforça o papel do FHS, que deverá avaliar a gestão dos bancos.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *