Últimas

SES divulga na próxima semana boletim atualizado sobre microcefalia em Pernambuco

A Secretaria Estadual de Saúde (SES) deve divulgar na próxima segunda ou terça-feira um boletim atualizado sobre o registro de casos de microcefalia no estado.

Já o boletim epidemiológico sobre os casos de microcefalia em todo o país será divulgado na próxima terça-feira, durante entrevista coletiva de imprensa no Ministério da Saúde. Em, nota, o MS informou que, em parceria com as secretarias estaduais e municipais de saúde, continuará recebendo as ocorrências, dando apoio técnico e mantendo ativo o Centro de Operações de Emergência em Saúde Pública (COES), para o estudo, a investigação e a definição do agente causador do aumento da ocorrência de microcefalia. 

Até o momento, foram identificados 141 casos em Pernambuco, distribuídos em 42 cidades. Um volume é 15 vezes maior que a média registrada entre 2010 e 2014, de nove casos por ano e que teria motivado o Ministério da Saúde a decretar estado de emergência sanitária nacional e a SES a lançar um protocolo de atendimento.

Nesta quinta-feira, a pasta chegou a apresentar um relatório que apontava dois casos registrados no município de Caruaru, no Agreste do estado. A informação, no entanto, foi corrigida pela assessoria de comunicação após uma análise técnica. A secretaria não descarta a possibilidade de notificações no município, mas adianta que todos os casos estão sendo analisados a fim de verificar se eles se encaixam nos parâmetros definidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) para a anomalia.

Como fonte de notícias, a SES indica a página do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde de Pernambuco (Cievs/PE). A unidade que faz parte da Rede Nacional de Monitoramento e Respostas às Emergências em Saúde Pública está atualizando todos os dados sobre microcefalia no estado.

De acordo com informações publicadas pela Agência Estado, a superintendência da Maternidade Nossa Senhora de Lurdes, de Aracaju, Sergipe, informou que 49 casos foram identificados no estado em setembro e outubro. O problema também foi identificado em outras três cidades: Itabaiana, Estância e Lagarto. No Rio Grande do Norte, foram 22 casos. A maioria também registrada a partir de agosto. Lá, o indicador de crianças nascidas com microcefalia é 11 vezes maior do que o registrado em 2012. Os nascimentos ocorreram em Natal, Mossoró, Macaíba e Currais Novos.

Sobre os casos de microcefalia na região Nordeste, o Ministério da Saúde orienta às gestantes:

1 -Devem ter a sua gestação acompanhada em consultas pré-natal, realizando todos os exames recomendados pelo seu médico;

2 – Não devem consumir bebidas alcoólicas ou qualquer tipo de drogas;

3 – Não utilizar medicamentos sem a orientação médica;

4 – Evitar contato com pessoas com febre, exantemas ou infecções;

5 – Adoção de medidas que possam reduzir a presença de mosquitos transmissores de doenças, com a eliminação de criadouros (retirar recipentes que tenham água parada e cobrir adequadamente locais de armazenamento de água);

6 – Proteger-se de mosquitos, como manter portas e janelas fechadas ou teladas,  usar calça e camisa de manga comprida e utilizar repelentes indicados para gestantes;

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *