Últimas

A redução do número de linhas no Brasil é positivo de acordo com a Anatel

Da Redação do site Tudocelular.com.br

Na semana passada nós falamos aqui no TudoCelular que este ano viu uma redução da base de linhas móveis em serviço no Brasil. Apesar de inicialmente isso soar como uma notícia negativa ela foi avaliada positivamente pelo presidente da Anatel, João Rezende, já que a diminuição ocorreu apenas entre números pré-pagos, aumentando o número de contas pós-pagas das empresas. Segundo Rezende o movimento é benéfico para as teles, que passam a ter uma ideia melhor do tamanho real da sua base de clientes, após o desligamento de chips que funcionavam como segunda ou terceira linhas de usuários pré-pagos. E para o consumidor também é positivo, pois é mais fácil gerenciar uma única linha do que duas ou mais. O único que sai perdendo com o movimento é o governo federal, que deixa de arrecadar o Fistel, taxa anual paga por cada linha móvel em serviço.

A explicação para o fim de tantas linhas pré-pagas é o corte na tarifa de interconexão, ele está tornando mais baratas as ligações para números de outras operadoras, ou seja, agora ter chips de várias empresas está cada vez menos útil. Por exemplo, no mês passado, a Oi e a TIM reformaram seus planos e pararam de cobrar preços diferenciados em ligações para dentro e para fora de suas redes, o que vai acelerar ainda mais o abandono dos chips extras por parte de clientes pré-pagos.

A verdade é que hoje em dia, acredita-se que 75% da população brasileira tenha celular. É difícil imaginar que alguém, ainda que desempregado, pare de usar seu serviço de telefonia móvel, algo considerado de primeira necessidade hoje em dia. Ao mesmo tempo, sempre terão pessoas que usarão pelo menos dois simcards, um chip para uso pessoal e outro para trabalho, por exemplo.

Apesar da Oi e da TIM terem unificados as tarifas, a Claro e a Vivo ainda resistem. Por enquanto, a tarifa de interconexão móvel que hoje custa R$ 0,16 por minuto vai baixar para R$ 0,10 em fevereiro e para R$ 0,03 até 2018.

Ou seja, sabemos que a base atual de 275,89 milhões ainda vai diminuir muito com o passar do tempo.

Fonte: Tudocelular.com.br
Notícia originalmente postada pelo site Tudo Celular.

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *