Últimas

Agentes entram em acordo com governo e retomam serviços nos presídios

Terceirizados não trabalharão com armas e PCCS e concurso serão abordados em janeiro

 

Agentes penitenciários concursados irão retomar todas as atividades no sistema prisional. Em assembleia realizada na manhã desta quinta-feira (17), os servidores aceitaram a proposta do governo e voltarão a discutir PCCS e serviço suplementar em janeiro e receberam a garantia de que prestadores de serviço não poderão utilizar armas nos presídios.

De acordo com o diretor financeiro do Sindicato dos Agentes Penitenciários (Sindapen), Vitor Leite, a categoria decidiu dar um “fôlego” ao governo do Estado. “Nós entendemos que o momento é difícil, vamos dar esse tempo ao governo, mas também fizemos as nossas reivindicações, que serão discutidas à partir de janeiro, com a formação de uma comissão”, disse.

A comissão será formada por três membros do Sindapen e dois representantes do governo do Estado. Antes do primeiro encontro, já ficou definido que os prestadores de serviço seguem sem atuar em qualquer serviço que necessite a utilização de arma de fogo.

Atualmente, são agentes 550 concursados e 1.200 prestadores de serviço. Sem os terceirizados, ficou definido que agentes que estão atuando em serviços administrativos, retornaram ao sistema prisional para recompor o quadro e efetuarem atividades com arma de fogo.

Outros temas serão debatidos pela comissão que será formada no mês de janeiro. O primeiro assunto da pauta será a implantação do serviço suplementar, conhecido como “Bico Legal” e posteriormente serão abordados o Plano de Cargos Carreiras e Salários (PCCS) e num terceiro momento, a discussão da realização do concurso público.

 

Por Paulo Chancey Junior

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *