Após foto na quadra da Mangueira, padre Fábio de Melo é criticado por errar identidade de gênero de travesti

O encontro entre o padre pop Fábio de Melo e a travesti Luana Muniz, na quadra da Mangueira, dividiu opiniões na internet. De um lado, alguns apontam o relato como um passo importante para a visibilidade da causa LGBT. Mas algumas vozes da própria comunidade destoam, argumentando que a transfobia ainda está presente no discurso de Fábio, apesar de seu relato.

Para Carlos Tufvesson, da Coordenadoria Especial de Diversidade Sexual da prefeitura do Rio, a repercussão da foto com a presença de Luana ao lado do padre é que choca.

— Me espanta o furor causado por um ao abraçar uma travesti, porque a mensagem de Cristo, ao menos no catecismo que estudei, era amar ao próximo como Deus nos ama, e isso não exclui ninguém. Aliás, considero grave um sacerdote recusar acolher um filho de Deus em função de sua orientação sexual ou identidade de gênero — opina Tufvesson.

Nas redes sociais, algumas postagens chamaram atenção para certos “vícios” apresentador por Fábio de Melo em seu relato, como o chamamento de Luana no masculino, ignorando a identidade de gênero da travesti.

Um vídeo gravado por Kalynka Oliver, de Curitiba, por exemplo, chama atenção para o deslize.

Uma outra página voltada para o público LGBT, em postagem no Facebook, critica o fato de Fábio ter “reconhecido a humanidade” de Luana apenas depois de ficar ciente dos trabalhos sociais realizados pela travesti.

Fonte: Jornal Extra (http://extra.globo.com)

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *