Arquidiocese vai premiar ideias criativas de combate ao mosquito Aedes aegypt

A Arquidiocese de Olinda e Recife, em parceria com o Banco do Brasil e o governo do estado, vai promover uma edição especial do Prêmio Pastoral de Saúde para contemplar ideias criativas de grupos paroquiais para combater a proliferação do mosquito Aedes aegypt, inseto transmissor de doenças como dengue, chikungunya e zika vírus, o último associado à microcefalia. O anúncio foi feito na manhã desta terça-feira pelo arcebispo de Olinda e Recife, Dom Fernando Saburido, em encontro com o coordenador da Pastoral de Saúde, Vandson Holanda, o médico Drauzio Varella e o secretário de Saúde do Estado, Iran Costa.

A atividade fará parte da Campanha da Fraternidade de 2016 que terá como tema “Casa comum, nossa responsabilidade”. A premiação deve ser realizada até março do ano que vem. A programação conta ainda com capacitações para treinar agentes de saúde para a realização de mutirões à noite e nos fins de semana, onde é mais provável que os moradores estejam em casa e conscientização dos fieis durante as missas. A ideia é envolver todas as 120 paróquias espalhadas nos 19 municípios de Pernambuco.

De lá, o médico seguiu para a sede da AACD, onde chegou a conversar com algumas mães de bebês diagnosticados com microcefalia. Ao final, Varella fez orientações às grávidas: “Tem que se esconder do mosquito. A gente não tem controle. Tem que limpar a casas, mas se proteger pessoalmente. Isso não é uma brincadeira, é uma doença que traz consequências sérias e definitivas”, alertou. Questionado sobre boatos de que a microcefalia teria sido causada por uma vacina, ele foi enfático: “Esses boatos são criminosos. Isso não existe. Essas pessoas têm que ser identificadas e processadas criminalmente”

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *