Últimas

Bélgica prende dois suspeitos de preparar atentados durante fim de ano

 (BELGA/AFP NICOLAS MAETERLINCK )

Bruxelas – Dois suspeitos de preparar atentados em Bruxelas foram detidos em operações policiais que revelaram sérias ameaças contra vários locais simbólicos da capital belga durante as festas de fim de ano, segundo a promotoria federal. “A investigação revelou sérias ameaças de atentados contra vários locais de Bruxelas”, indicou a promotoria em um comunicado.

Um dos detidos é suspeito de “ameaças de atentados, participação em atividades de um grupo de terrorista na qualidade de dirigente, e recrutamento visando a cometer infrações terroristas”, segundo a fonte. A outra pessoa é acusada de “ameaças de atentados e participação em atividades de um grupo terrorista”.

As prisões aconteceram após operações da polícia no domingo e na segunda-feira em Bruxelas, em Brabant e na região de Liège, “à pedido de um juiz de instrução, especialista em terrorismo”. Após as operações, seis pessoas foram interrogadas pela polícia, duas delas foram detidas.

Não foram encontrados armas ou explosivos, mas os investigadores “apreenderam material informático, roupas de treinamento militar e material de propaganda do grupo Estado Islâmico” que estão sendo analisados.

Neste contexto, o organismo que avalia a ameaça terrorista na Bélgica, Ocam, elevou na segunda-feira o nível de alerta para “a polícia e presença militar em Bruxelas, que poderiam ser alvos simbólicos”, indicou seu porta-voz.

Bruxelas decretou estado de alerta em 3 de novembro, um nível abaixo do máximo. Além do reforço das medidas de segurança em locais muito frequentados, as autoridades decidiram não abrir escolas ou estações de metrô, paralisando a cidade por quatro dias. “O que tememos, são ataques semelhantes aos Paris, com vários indivíduos em vários lugares”, explicou na ocasião o primeiro-ministro belga, Charles Michel.

As autoridades judiciais não revelaram qualquer detalhe sobre a identidade dos presos e não indicaram o local em que foram detidos, já que a investigação prossegue. Como parte da investigação dos ataques de Paris em 13 de novembro, nove pessoas foram indiciadas na Bélgica, mas vários suspeitos seguem foragidos.

Este é o caso de Abdeslam Salah, cujo irmão Brahim se explodiu em 13 de novembro, e seu amigo Mohammed Abrini. Perseguido por todas as polícias da Europa, é suspeito de levar os camicases que se explodiram no Stade de France em 13 de novembro, antes que recorrer aos amigos em Bruxelas, que o levaram para a Bélgica.

Seu irmão Brahim se explodiu ante um bar na mesma noite. “Temos em conta que pode continuar na Bélgica porque é uma das possibilidades”, declarou o ministro do Interior, Jan Jambon, ao jornal belga Le Soir. A polícia também busca Mohamed Abrini, suspeito de acompanhar Salah Abdeslam à capital francesa dois dias antes dos ataques.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *