Últimas

Chuvas deixam 6,5 mil desabrigados no Rio Grande do Sul

A chuva afetou mais de 6, 5 mil pessoas na fronteira oeste do Rio Grande Sul. Reflexo do mau tempo, com volume acumulado de mais de 500 milímetros de água em menos de uma semana, 38 municípios sofrem os prejuízos com a enchente, que é a quinta e a pior deste ano na região.Segundo boletim divulgado no início da noite pela Defesa Civil do Estado, 1.795 famílias foram atingidas – 1.479 estão desalojadas e 66, desabrigadas. Os que tiveram de deixar as residências precisaram de solidariedade para festejar o Natal e ainda terão de passar o ano-novo em abrigos ou casas de amigos, conhecidos ou familiares.

Isso ocorre porque a enchente do Rio Quaraí já atingiu o recorde de 15 metros e 28 centímetros. O mesmo ocorre com o Rio Uruguai, a 10 metros e 41 centímetros acima do normal. A forte chuva causou, entre outros prejuízos, a quebra da colheita de arroz em Quaraí. A Ponte Internacional da Concórdia, entre o Brasil e o Uruguai por Quaraí e Artigas, foi interditada por 22 horas.

A Defesa Civil informou que 12 prefeituras decretaram situação de emergência: Liberato Salzano, Trindade do Sul, Nonoai, Santo Ângelo, São Miguel das Missões, Guarani das Missões, Roque Gonzales, Cândido Godói, Uruguaiana, Quaraí, Passa Sete e Não Me Toque. A presidente Dilma Rousseff deve visitar hoje Uruguaiana e sobrevoar a região afetada pelas cheias no Rio Grande do Sul.

O Instituto Nacional de Meteorologia emitiu alerta de perigo pelo acumulado de chuva nas regiões noroeste, nordeste, centro oriental e metropolitana de Porto Alegre. O temporal, potencializado pelo fenômeno El Niño, deve amenizar nos próximos dias. “Com as previsões que indicam tempo bom, a expectativa é de que, aos poucos, as famílias já possam retornar para suas casas. Nesta sexta-feira, 150 famílias de Santana do Livramento puderam voltar às residências”, relatou a Defesa Civil. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *