Últimas

Cidade de Bebedouro paga R$ 1 mil por casa sem Aedes aegypti

A prefeitura de Bebedouro, na região norte do Estado, está oferecendo uma recompensa de R$ 1 mil a moradores que eliminarem o mosquito Aedes aegypti de suas casas. Para ter o prêmio, porém também será necessária sorte, pois as 20 recompensas previstas, totalizando R$ 20 mil, serão distribuídas por sorteio. O dinheiro será bancado por uma cooperativa local. Cartazes com a imagem do mosquito e os dizeres “Procurado” e “bem morto” estão sendo distribuídos na cidade, com a oferta da recompensa, ao estilo do “velho oeste”.

A promoção, porém, é séria, segundo a prefeitura: a cidade registrou 6,3 mil casos da doença nos últimos 12 meses e os 75 mil moradores estão assustados com os riscos de outras doenças, como a chikungunya e a zika. Segundo a Vigilância Sanitária, a campanha visa a estimular o combate ao transmissor da dengue dentro das casas. Para participar do sorteio, as famílias receberão um cupom com a conta de água de janeiro, que deve ser preenchido e entregue em pontos de coleta.

Serão quatro sorteios ao longo do primeiro semestre de 2016, premiando cinco famílias de cada vez. Em seguida, as casas serão vistoriadas por agentes, acompanhados por um integrante da cooperativa e um guarda municipal. Se for encontrado criadouro, a família perde a vez e haverá novo sorteio. De acordo com a prefeitura, a campanha não interfere nos arrastões e outras ações de combate ao mosquito. “A população está se envolvendo e a expectativa é de grande participação.”

Multas

Em Limeira, a reincidência em manter criadouros em casa está sendo punida com multas. Desde fevereiro, foram feitas 94 autuações com base em lei municipal que pune a negligência no combate ao mosquito. A maioria das multas foi aplicada no valor máximo, de R$ 1,5 mil. De cada dez casas em que foram registrados casos de dengue, oito voltaram a apresentar criadouros do mosquito.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *