Últimas

Coluna: As Novelas Engavetadas

Meses atrás a Rede Record surpreendeu a todos ao adiar sua próxima novela “Escrava Mãe” para o ano que vem. Programada inicialmente para substituir o grande sucesso “Os Dez Mandamentos” a emissora achou por bem apostar em histórias bíblicas e abrir um novo horário na programação para apresentar a nova novela. Muitos criticaram a atitude da emissora da Barra Funda pela falta de planejamento, porém não é apenas a Record que resolve do nada engavetar suas telenovelas e exibi-las totalmente gravadas, o SBT já fez isso diversas vezes…

A novela “Perola Negra” estrelada por Patrícia de Sabrit e Dalton Vigh começou a ser gravada em julho de 1997, programada para ser exibida ainda no mesmo ano substituindo “Os Ossos do Barão”, porém devido o sucesso da trilogia das Maria de Thalia (“Maria Mercedes”,” Marimar” e “Maria do Bairro”), Silvio Santos preferiu exibir uma reprise de “Maria Mercedes” ao invés da inédita história de Pérola. A trama encerrou suas gravações em fevereiro de 1998 e só foi ao ar pela primeira vez em novembro do mesmo ano, por sorte a novela foi um sucesso alcançando médias entre 16 e 19 pontos na época.

Silvio Santos em 1997 foi até Cuba pessoalmente comprar os direitos da novela “O Direito de Nascer” e encomendou a produção da trama a JPO do falecido diretor Roberto Talma. A trama foi cogitada diversas vezes para entrar no ar, sendo inclusive programada para substituir “Perola Negra” em 1999, porém a alta cúpula do SBT designou o fenômeno “A Usurpadora” para segurar os bons índices no horário. A verdade é que Silvio Santos achou a produção fraca e tinha receio em coloca-la no ar em uma época onde a Record começava a ameaçar sua emissora. “O Direito de Nascer” só foi apresentada no ano de 2001 substituindo “Éramos Seis” às seis da tarde. Com a audiência do SBT estável, a trama fechou com 11 pontos na média geral.

A primeira novela assinada por Íris Abravanel também foi apresentada 100% gravada, nem a esposa de Silvio Santos escapou de suas peripécias. Com o fim na época da parceria com a Televisa do México, o SBT precisava de um texto original para continuar produzindo suas novelas, foi então que surgiu “Revelação”. Devido à reprise de “Pantanal”, a trama foi apresentada no fim de 2008 como substituta da produção da extinta Rede Manchete. A primeira novela escrita por “Dona Íris” alcançou apenas 05 pontos na média geral.

“Revelação” não foi à única novela de Íris Abravanel engavetada no SBT. Em 2010 a emissora produziu “Corações Feridos”, adaptação de um texto mexicano para substituir “Uma Rosa com Amor”, porém os diretores do canal preferiram reprisar “Canavial de Paixões” ao invés de apresentar uma produção inédita. A novela só foi exibida em janeiro de 2012, retomando o tradicional horário de novelas do SBT (20:30). “Corações Feridos” fechou com 05 pontos na média geral.

Uma novela é um produto bastante caro quando bem desenvolvidas, um capitulo pode custar uma verdadeira fortuna. É interessante a produção não abrir uma grande frente de capítulos gravados, se algum enredo não agrada o público o autor tem tempo de corrigir os erros e assim não colocar a novela em risco. Exibir uma novela 100% gravada é apostar no tudo ou nada, caso a trama não agrade os telespectadores a única solução encontrada é encurtar a história adiantando seu final, jogando várias cenas na lata do lixo, reconhecendo o prejuízo. Por enquanto, a Rede Record ainda não divulgou a data para a exibição de “Escrava Mãe”, muitos acreditariam que a novela seguraria boa parte do público de “Os Dez Mandamentos”. Somente com a exibição do folhetim que narra parte da história dos escravos no Brasil saberemos se essa foi ou não uma boa atitude da Record…

Acompanhe a Coluna “Sou Telespectador” nas Redes Sociais:

Veja outros textos e curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/soutelespectador

Twitter: @soutelespectado


Fonte: Bastidores da TV

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *