Cortes do governo federal causarão impacto em Alagoas, prevê governador

Renan Filho disse que ainda não consegue visualizar como será esse impacto

 

A expectativa do governador Renan Filho (PMDB) é que os cortes financeiros anunciados pelo governo federal gerem um impacto maior em Alagoas devido ao aguardo de verbas federais para o andamento de obras e projetos. O novo contingenciamento pode chegar a R$ 11 bilhões, mas mesmo assim, a previsão é que o governo não consiga atingir a meta fiscal de 2015.

Durante a visita as obras de ampliação da Universidade de Ciências da Saúde (Uncisal), Renan esclareceu que ainda não consegue visualizar como será esse impacto no estado, todavia, ressaltou que a população e os Estados irão arcar com um preço muito alto.

O governador voltou a comentar sobre a estabilidade política e suas consequências, principalmente, nas decisões que podem contribuir para o país ultrapassar crise econômica. “O governo necessita de uma medida urgente. Os Estados e a população não aguentam mais. Cada estado pagará um preço muito alto se não for tomada uma medida mais urgente”, disse Filho.

A crise financeira que se abate no país, é um reflexo da falta de líderes, segundo o governador de Alagoas. “O Brasil precisa urgente de líderes. Não falo apenas de um, do executivo, mas de líderes em todas as esferas, que possam mudar essa realidade, ou então o Brasil vai quebrar de vez”, afirmou.

Voto no Papel

A possibilidade da eleição de 2016 ser realizada através do voto manual foi duramente criticada pelo governador durante o evento. Segundo ele, antes de anunciar a inviabilidade de adquirir novas urnas eletrônicas e realiza a manutenção de outras, a Justiça Eleitoral deveria efetivar um corte em suas despesas.

“A justiça eleitoral deveria cortar gastos em outros setores. O voto eletrônico foi uma conquista do povo brasileiro. Cortes devem ser feitos no que é supérfluo, o que não é o caso”, disse.

Maternidade Escola Santa Mônica

Aguardada por muitos, a Santa Mônica testá próxima de ser entregue. Segundo o governador Renan Filho, a conclusão e reinauguração acontecerá este mês de dezembro, ainda sem data definida. O reitor da uncisal, Paulo Medeiros Costa, explicou que a data depende da agenda do ministro da saúde, Marcelo Castro.

“Estamos esperando alinhar com a agenda do ministro. A nossa ideia é fazer essa reinauguração entre os dias 17 e 21. Mas, caso o ministro venha no dia 24, vamos fazer essa entrega”, explicou.

 

Por Gilca Cinara e Paulo Chancey Jr.

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *