Últimas

Designer do Android critica interface do iOS

Da Redação do site Tudocelular.com.br

Design, tanto em hardware quanto software, é um dos aspectos mais fundamentais para a produção de novos produtos tecnológicos. É vital para o sucesso de um dispositivo, seja um smartphone, um computador, ou algo entre os dois. Se não é fácil de usar, confortável de segurar, ou qualquer outro aspecto que não for atendido pelos designers por trás dos bastidores, os consumidores irão expressar as suas opiniões de insatisfação.

Para Matias Duarte, vice-presidente de design da Google, ao dar entrevista ao WIRED, informou que mudanças precisam ser feitas nos próximos anos. Em 10 anos, de fato, Duarte quer construir uma malha de informação que preenche a lacuna entre o seu computador em casa e o smartphone em seu bolso, mas ele também admite que para se ter sucesso nesta mudança terá que mostrar às pessoas a maneira como eles devem interagem com a nova tecnologia. Mas ele vê um grande marco no desenvolvimento, mesmo comparando o que está acontecendo no espaço interativo digital como a Revolução Industrial:

“Eu vejo o que estamos fazendo agora neste espaço digital interativo como uma espécie de revolução industrial. Mas há um risco real, há um risco real de estagnação.”

Falando sobre o projeto, especialmente em termos dos dispositivos que usamos na maioria das vezes – nossos smartphones – inevitavelmente é difícil não comentar sobre o iPhone. Se passaram oito anos desde que Steve Jobs apresentou ao mundo o iPhone original, mas não mudou muito quando se trata da maneira como interagimos com a experiência proposta pelo sistema. Enquanto Apple, Google e Microsoft vêm trazendo novos recursos para os sistemas móveis, ainda precisamos de uma interface que é explorada pelos usuários por menus e ícones.

Duarte diz que esse ainda é o caso, muitos anos depois, porque a Apple conseguiu cristalizar um momento no tempo, que quase imediatamente se transformou em um padrão em toda a linha, e foi imitado por muitas outras entidades no mesmo espaço. O designer diz que foi fácil “resolver em padrões que são sub ideais”, que é difícil de romper. E, embora o sucesso da Apple, e dominância no mercado de smartphones, parece fácil neste momento tão à frente do primeiro lançamento do iPhone que dispositivos subsequentes e software que lançaram uma vez que a partir de outras empresas, Duarte diz que o sucesso do iPhone e da Apple não estão garantidos:

“Francamente, não é um mundo onde o melhor pacote ganha. Teria sido muito fácil, se a Apple tivesse trazido o iPhone um ano mais tarde para o mercado, que em vez das expectativas do mercado de que um smartphone deve ser cristalizado em torno de algo que é mais parecido com o que o Blackberry foi”.

Duarte admite que o lançamento do iPhone, e até mesmo a cristalização de que referida norma, foi um momento “bastante positivo” para a indústria. No entanto, as coisas não mudaram, e, como tal, a ideia de curadoria em forma de lista ou grade de aplicativos e ícones podem se sentir “muito pesada e defasada.”

Duarte fala que os smartphones ainda têm muito espaço para evoluir. Só resta saber até quando as empresas continuarão presas a sua zona de conforto. Que o iOS precisa de mudanças radicais em sua interface e modo de interação já é algo esperado por muitos, mas o designer não chegou a comentar nada sobre o Android. Será que a próxima versão terá mudanças mais significativas do que vimos do Lollipop para o Marshmallow?

Fonte: Tudocelular.com.br
Notícia originalmente postada pelo site Tudo Celular.

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *