Últimas

Evolução

O Congresso Nacional Popular da China – o Parlamento chinês – aprovou neste domingo o fim da política do “filho único”, ao permitir que todos os casais do país tenham dois filhos, uma decisão que entrará em vigor a partir do dia 1º de janeiro de 2016, de acordo com a agência estatal de notícias Xinhua.

A aprovação encerra mais de três décadas de uma estrita e controvertida política demográfica no país mais povoado do mundo. Líderes do Partido Comunista Chinês (PCC) já tinham aprovado a nova política anteriormente.

A Comissão Nacional de Saúde e Planejamento Familiar, que implementa a política reprodução da China, disse anteriormente que iria mover-se lentamente para evitar picos populacionais.

Os demógrafos têm advertido os líderes da China durante a última década que os baixos índices de natalidade no país podem causar uma futura escassez de trabalho que colocaria em risco o crescimento econômico.

A China tem a maior população do mundo, com 1,37 bilhão de habitantes, mas a sua população em idade ativa – aqueles com idade entre 15 e 64 anos – está encolhendo. A Organização das Nações Unidas (ONU) prevê que o número de pessoas chinesas com idade superior a 65 vai saltar 85% para 243 milhões em 2030, acima dos 131 milhões este ano.

Muitos especialistas em saúde dizem que, embora a nova política provavelmente vai permitir que até 100 milhões de casais tenham mais filhos, eles não esperam um baby boom. Muitos casais chineses dizem que o custo de ter filhos é alto e alguns vão optar por ter apenas um filho. Um relaxamento anterior da política do filho único da China não conduziu a um aumento significativo do número de bebês.

As autoridades de saúde já disseram que estão se movendo para simplificar os procedimentos de pedidos de nascimentos para casais, que atualmente têm que passar por um procedimento complexo, que muitas vezes pode levar meses.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *