Exército e agentes de saúde caçam focos de mosquitos na Linha do Tiro

O combate ao mosquito Aedes aegypti não tem trégua nem nos fins de semana. Na sexta e neste sábado, agentes de saúde da Prefeitura do Recife e soldados do Exército percorreram as ruas do bairro de Linha do Tiro em busca de focos de larvas do inseto. Neste domingo, a ação, uma parceria da prefeitura com o Exército, será realizada no Bairro do Recife e em Dois Unidos. Além de orientarem a população em visitas feitas a domicílio e eliminarem os repositórios de água onde os animais poderiam se desenvolver, o grupo coloca larvicidas nos recipientes maiores, como caixas d’água. Ao todo, metade dos agentes devem estar nas ruas durante as ações do período natalino.

NÚMEROS
Linha do Tiro
1.050 imóveis vistoriados ontem
14 agentes de saúde da Prefeitura do Recife
25 homens do Exército
9h às 17h – período de visita às casas

A ação começou no dia 7 e deve durar até o dia 2 de janeiro. Após esse período, a Secretaria de Saúde do Recife vai fazer um novo levantamento para definir os novos bairros a serem visitados. De acordo com Vânia Nunes, coordenadora de Vigilância Ambiental da prefeitura, embora haja recusas, a receptividade das visitas domiciliares para o combate ao Aedes aegypti tem sido maior. “Essa é uma ação já existente, mas que precisava ser potencializada por causa do alerta de microcefalia. A Guarda Municipal também ajuda na iniciativa. Atualmente, lugares que recusavam nossa presença já nos recebem. Empresas e condomínios também têm nos procurado para darmos palestras”.

O casal Valdomiro Dias e Maria José Arcanjo Dias moram há cinco meses na Linha do Tiro e receberam uma equipe de saúde em casa pela primeira vez desde que se mudaram. A ação foi bem-vinda, especialmente por Maria José, que diz ter pego dengue quatro vezes e desenvolvido a forma hemorrágica da doença. Este ano, a dona de casa também foi contaminada pelo chikungunya. “Sempre lavo a caixa d’água e limpo o quintal da minha casa, mas nem sempre os vizinhos fazem a parte deles”.

O comerciante Fernando Antônio dos Santos, que mora no bairro há dois anos, também cumpriu com seu dever ao deixar a caixa d’água de sua casa tampada. “A ação é satisfatória para os cidadãos. Todos precisam ajudar a combater o mosquito”, disse.

Se nas casas visitadas não havia focos visíveis, o mesmo não se pode dizer das vias públicas. A água do esgoto que corria nas ruas da Linha do Tiro também arrastava o lixo da área, propiciando novos focos do inseto. “Nós identificamos os focos das casas, mas as pessoas também colocam lixo na rua de forma incorreta”, lamenta Rute Dutra, supervisora do Programa de Saúde Ambiental da Secretaria de Saúde da Prefeitura do Recife.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *