Google é acusada de coletar informações de estudantes em Chromebooks e apps escolares

Da Redação do site Tudocelular.com.br

A Electronic Frontier Foundation (EFF) apresentou uma queixa para a Comissão Federal de Comércio hoje contra a Google por coletar dados e informações de pesquisas de histórico de estudantes. O grupo destacou o problema descoberto, entre outros semelhantes, em sua campanha sobre espionagem a estudantes, chamada Spying on Students, que foi lançada hoje.

Um dos motivos para “comprar briga com a Google” nesse problema é que em janeiro, a companhia de Mountain View assinou um compromisso de privacidade de estudantes, juridicamente com um documento vinculado em que se abstém de rastreamento de informações pessoais dos estudantes sem permissão. A promessa foi escrita para proteger as informações pessoais dos alunos. Essas garantias foram necessárias para a criação de programas e aplicações que visam trazer ferramentas baseadas em nuvem e software para escolas e universidades.

A EFF, organização sem fins lucrativos, disse que descobriu essa atividade da Google, que consiste em rastreamento e armazenamento de dados de usuário quando utilizavam Chromebooks disponíveis em escolas, bem como o Google Apps em sua versão voltada para educação, que oferece aos alunos uma gama de aplicativos de produtividade baseada em nuvem e serviços de e-mail.

O grupo percebeu que o recurso de sincronização no browser do Google Chrome é habilitado por padrão nos Chromebooks vendidos para escolas. Ele foi projetado para disponibilizar o histórico de navegação, configurações e favoritos dos usuários nos dispositivos em que estão logados em suas contas Google, mas também permite que a companhia possa armazenar esses dados em seus servidores para fins que não são as usuais publicidades.

A preocupação com essa questão é que isso significa que os alunos entregam involuntariamente as informações sobre todas as suas atividades on-line para a Google, sem ter conhecimento disso. Além disso, A EFF alega que os administradores de TI nas escolas podem permitir que sites de terceiros controlem dados de localização e substituir as configurações dos usuários para desabilitar a sincronização.

A Google disse que em breve vai desativar a configuração de sincronização no Chrome em Chromebooks usados em instituições de ensino. A EFF diz que isso não é suficiente, mas Google discorda. Não está claro por que o Google acha que é “ok” coletar dados de alunos depois de assinar uma promessa contra essa prática, tampouco quais objetivos da companhia.

De qualquer forma, essa será uma disputa que renderá alguns episódios. Resta agora saber o que a Comissão dirá a respeito.

Fonte: Tudocelular.com.br
Notícia originalmente postada pelo site Tudo Celular.

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *