Últimas

Homicídios superam índice de 2014

Dados divulgados em coletiva do secretário de Defesa Social, Alessandro Carvalho, revelaram que um mês antes do fim de 2015 os homicídios no estado (3.540) superam total de todo o ano passado (3.434). As estatísticas da Secretaria de Defesa Social (SDS) foram divulgadas, numa coletiva em que foi anunciado um reforço de 310 homens na segurança para o período de festas de final de ano e verão nos principais corredores comerciais da Capital e nos entornos dos shoppings centers a partir de hoje.

Em 2016, a SDS espera realizar dois concursos para contratar 100 delegados, 500 agentes, 316 profissionais para a polícia científica e 1.500 soldados para atuar nas ruas em 2017. Em entrevista ao Diario de Pernambuco, Alessandro Carvalho elencou como motivação dos resultados ruins e os movimentos de reivindicação de delegados de Polícia e dos policiais e escrivães, desde julho.

O Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (Sinpol) divulgou nota refutando essa análise e afirmando que a Operação Polícia Cidadã é uma campanha de conscientização para que “os policiais civis cumpram a lei, de forma irrestrita, profissionalizando a investigação e cumprindo as atribuições de cada cargo”. Não houve pronunciamento dos delegados.

Comparando o período de janeiro a novembro de 2014 com o mesmo período de 2015, as estatísticas da SDS apresentam números positivos, como o aumento da apreensão de armas (10,32%), da eliminação de pontos de droga (11,7%) e da apreensão de crack (31,07%), redução na taxa de Crime Violento Letal Intencional (CVLI) contra idosos em todo o estado (-31%), e contra mulheres na Região Metropolitana do Recife (-14%). E destacam que pela primeira vez desde a implantação do Pacto Pela Vida a Área Integrada de Segurança (AIS) 20 chegou a uma taxa de CVLI de 8,1/100 mil habitantes, abaixo da 10/100 mil habitantes preconizada pela Organização das Nações Unidas (ONU).

 De acordo com a SDS, o Recife é a capital menos violenta do Nordeste, com taxa 32,0/100 mil, muito abaixo da segunda colocada (Aracaju, com 47,1). O Sinpol identifica como causa do aumento da violência a falta de efetivo e o sucateamento da estrutura para o combate ao crime, acrescentando que desde 2007, o efetivo da Polícia Civil era de 4,5 mil policiais, quando o próprio Pacto Pela Vida previa a necessidade de 10,4 mil em 2015. “Trabalhamos hoje com menos de 40% do efetivo e em condições degradantes”, diz a nota.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *