Ministro do Interior de Israel renuncia por acusação de assédio sexual

Ele classifica as acusações como "ataque indecente". Foto: AFP (Ele classifica as acusações como "ataque indecente". Foto: AFP)
Ele classifica as acusações como “ataque indecente”. Foto: AFP

O ministro do Interior e vice-primeiro-ministro israelense, Silvan Shalom, anunciou neste domingo sua renúncia a ambos os cargos e decidiu abandonar a atividade política, após as acusações de “assédio sexual” e de “ataque indecente” noticiadas pela imprensa local.

“Minha família me apoia totalmente, mas nada justifica o preço que deve pagar”, declarou o político em um comunicado. “Nessas circunstâncias, decidi renunciar aos meus cargos como ministro e membro do Parlamento”, completou.

O procurador-geral do Estado instruiu a Polícia a investigar as informações, de acordo com nota do Ministério da Justiça divulgada após o anúncio de Shalom.

Alguns veículos de comunicação israelenses, em particular o jornal de esquerda “Haaretz”, publicaram várias denúncias de ex-membros da equipe de Shalom por sua “má conduta sexual”.

Na semana passada, o jornal noticiou que uma ex-funcionária acusou o ministro, mas não formalizou a denúncia na Polícia.

“A mulher disse que há mais de uma década, Shalom lhe propôs praticar sexo oral, abusando de sua posição dominante sobre ela. Este caso não poderia ser julgado atualmente por ter prescrito”, segundo o jornal.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *