OnePlus não alcançará 'por pouco' sua meta de vendas na Índia

Da Redação do site Tudocelular.com.br

OnePlus estipulou uma meta audaciosa para este ano de 2015: vender um milhão de smartphones da Índia. Sob qualquer contexto, tal quantidade de exemplares comercializados não seria chamativa e nem impossível, porém é válido lembrar que a companhia chinesa estreou em solo onde as vacas são consideradas animais sagrados ainda neste ano, tornando lá sua primeira investida física, abrindo lojas e inaugurando serviços de atendimento ao cliente. Conhecendo demasiado esforço por parte da empresa asiática, Vikas Agarwal, gerente geral das operações indianas da fabricante, deu uma entrevista a Reuters para comentar sobre o objetivo estabelecido pela marca, dizendo que ele não será cumprido ‘por pouco’.

Nas palavras do executivo da OnePlus, a companhia sediada na China foi incapaz de montar o estoque necessário pelos dois primeiros meses, atrasando entre seis e oito meses o início oficial das vendas de seus produtos por lá. Para conseguir, portanto, levantar-se e ‘tirar a poeira’, realizou acordos com a Foxconn, buscando justamente equalizar a fabricação de unidades à demanda registrada pelos clientes indianos. O plano agora é começar a produzir e montar os celulares no próprio país, trabalhando junto com o Primeiro Ministro da Índia, Narendra Modi, cujo plano é reestruturar o comércio da região. A empresa asiática, de fato, pode ajudar com isso, vendendo três modelos distintos no local: OnePlus One, OnePlus 2 e, o mais recente, OnePlus X.

OnePlus One foi lançado em meados de 2014 e ganhou o apelido de ‘assassino de flagships’ por contar com especificações técnicas equivalentes às da concorrência, porém ser vendido por um valor assustadoramente baixo. Relembrando, sua lista de características gerais inclui uma tela de 5,5 polegadas em resolução Full HD (1920 x 1080 pixels) e tecnologia LTPS, 3 GB de RAM, chipset Snapdragon 801 com quatro núcleos rodando a 2,5 GHz cada e Adreno 330 para os gráficos, 16 GB (branco) ou 64 GB (preto) de memória para o armazenamento interno, câmera principal de 13 megapixels com o novo sensor IMX214 da Sony e frontal de 5 megapixels, duplo alto-falante da marca JBL e bateria de 3.100 mAh e Android 5.0 Lollipop como sistema operacional, modificado pela interface CyanogenMod 12S ou Oxygen OS.

OnePlus 2, por sua vez, é o smartphone mais poderoso já lançado pela fabricante, trazendo um conjunto notável de peças eletrônicas, citando a tela de 5,5 polegadas em resolução Full HD (1920 x 1080 pixels), 3 GB ou 4 GB de RAM, chipset Qualcomm Snapdragon 810 com processador octa-core rodando a 2,0 GHz, Adreno 430 como placa gráfica, 32 GB ou 64 GB de memória para o armazenamento interno, não expansível, câmera principal de 13 megapixels, câmera frontal de 5 megapixels, suporte ao USB Type-C, bateria de 3.300 mAh e Android 5.1 Lollipop como sistema operacional, modificado pela mesma interface Oxygen OS.

Finalizando, mas não menos importante, há o OnePlus X, trazendo uma certa mistura entre os dois aparelhos listados acima. Este porta uma tela AMOLED de 5 polegadas, usando resolução Full HD (1920 x 1080 pixels), protegida por Gorilla Glass 3, 3 GB de RAM (LPDDR3) chipset Qualcomm Snapdragon 801, portando processador de quatro núcleos, rodando a 2,3 GHz cada, e Adreno 330 como placa gráfica, 16 GB de memória para o armazenamento interno, podendo ser expandida via cartão microSD de até 128 GB, câmera principal de 13 megapixels e frontal de 8 megapixels, suporte ao uso simultâneo de dois chips de operadora (dual-SIM), bateria de 2.535 mAh e Android 5.1.1 como sistema operacional, modificado pela interface própria da OnePlus, Oxygen OS.

É válido ficar atento aos passos da OnePlus na Índia, pois nós poderemos ser os próximos, já que migrar da China à Índia, e depois da Índia ao Brasil parece ser uma estratégia bem aceita pelas companhias sediadas em solo chinês. Até lá, por outro lado, é possível apenas observar suas novidades à distância.

Fonte: Tudocelular.com.br
Notícia originalmente postada pelo site Tudo Celular.

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *