Para Cunha, questionamento sobre voto secreto era 'receio de derrota'

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), classificou hoje como “receio político de derrota” a reclamação de líderes governistas sobre a permissão para deputados criarem chapa avulsa para comissão especial do impeachment. Em entrevista coletiva, o peemedebista também rebateu as críticas de governistas sobre o fato de a votação ter sido secreta.

Cunha afirmou que a votação secreta está prevista no artigo 188, inciso 3, do Regimento Interno da Casa. “Estudei com a assessoria, vimos todos os precedentes e que não poderíamos fazer diferente. Se fizer diferente, significa dizer que a eleição da Mesa também não poderia ser secreta”, ressaltou.” Não tem nenhum procedimento diferente. Não sei qual e a preocupação de se ter o procedimento da eleição secreta. Talvez aí é um pouco mais de receio político de derrota”, emendou.

Hoje,  o PCdoB recorreu ao Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar garantir que a votação para escolha dos integrantes da comissão especial do impeachment, na Câmara, fosse aberta e também para barrar a apresentação de chapa avulsa oposicionista.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *